Update privacy choices
Notícias

Moro condena ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine a 11 anos de prisão

Reuters

Aldemir Bendine concede entrevista no Rio de Janeiro

Aldemir Bendine concede entrevista no Rio de Janeiro 21/3/2016 REUTERS/Sergio Moraes

BRASÍLIA (Reuters) - O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela condução da operação Lava Jato, condenou o ex-presidente da Petrobras e ex-presidente do Banco do Brasil Aldemir Bendine a 11 anos de prisão, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, por ter recebido 3 milhões de reais em propina da Odebrecht para beneficiar a empreiteira em 2015.

Bendine está preso desde 27 de julho do ano passado, após uma das fases da Lava Jato.

O ex-presidente da Petrobras tinha feito uma solicitação de pagamento de propina no valor de 17 milhões de reais para a empreiteira.

Na sentença, Moro faz críticas ao fato de Bendine ter assumido o comando da Petrobras já com a Lava Jato em curso. Essa peculiaridade, conforme a decisão, fez a pena dele ter sido aumentada.

"O condenado assumiu o cargo de presidente da Petrobras em meio a um escândalo de corrupção e com a expectativa de que solucionasse os problemas existentes. O último comportamento que dele se esperava era de corromper-se, colocando em risco mais uma vez a reputação da empresa", afirmou o magistrado.

(Reportagem de Ricardo Brito)

Reações

Leia também