Update privacy choices
Notícias

Voto em Bolsonaro elegerá o PT, diz Geraldo Alckmin

THAIS BILENKY
Folhapress

Foto: Henrique Barreto/Futura Press

Presidenciável pelo PSDB, Geraldo Alckmin. (Foto: Henrique Barreto/Futura Press)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em sua missão de capturar o voto antipetista, Geraldo Alckmin (PSDB) partiu para o ataque contra Fernando Haddad (PT) nesta quarta-feira (12) em Betim (MG).

Embolado no segundo lugar sem avançar nas pesquisas, Alckmin voltou a chamar os seus adversários de "adoradores de Lula", na estratégia de se firmar como o único candidato antipetista com chance de ganhar de Jair Bolsonaro (PSL).

"Precisamos verificar quem pode vencer para não retrocedermos. É só olhar o segundo turno", disse, referindo-se às simulações mostrando que Bolsonaro perde em quase todos os cenários.

Ciro aponta metralhadora verbal para PT e Forças Armadas
PRTB quer Mourão no lugar de Bolsonaro, diz jornal
Sabatina Folha, UOL e SBT: Alckmin erra ao falar sobre passado de adversários

A campanha tucana estima que Haddad crescerá agora que oficializado como candidato do Lula.

"Acho que ele [Bolsonaro] não vai [para o segundo turno], mas se for é um perigo porque é um passaporte para voltar o PT", afirmou. "Você vota num e elege o outro, é um fato."

"É inacreditável lançar candidatura na porta da penitenciária", afirmou sobre o anúncio da substituição de Lula por Haddad na porta da Polícia Federal em Curitiba, onde o ex-presidente está preso.

"Agora Haddad vai ter se de se mostrar. E vai ter que explicar os 13 milhões de desempregados fora outro tanto no desalento e no subemprego", disse, na porta de uma fábrica na região metropolitana de Belo Horizonte.

"Isso não começou hoje, é uma herança do período do PT. Nós estamos vendo o sofrimento do povo brasileiro", continuou. 

79 Reações

Leia também