Análise: é possível Cristiano Ronaldo cumprir o desejo de superar a marca de gols de Pelé antes de aposentar?

Os fãs do astro Cristiano Ronaldo acordaram fazendo contas e pensando em uma situação hipotética. Segundo o ex-companheiro de Manchester United Gary Neville, o craque português só irá se aposentar quando superar os 1.281 gols de Pelé como profissional. Atualmente, ele tem 725, o que torna a missão bastante difícil. Porém, é impossível?

— É uma obsessão absoluta em marcar gols, dedicando-se todos os dias, sendo o melhor que ele pode ser. Acho que ele elevou seu profissionalismo todos os anos e progrediu. Não tenho dúvidas de que ele quer chegar perto dos 40 anos, e acho que ele [Ronaldo] tem um plano para assumir o recorde de Pelé. Ele quer ser o maior de todos os tempos e esse é o seu único objetivo — disse Neville.

No melhor dos cenários, não. Mas ainda assim é algo bastante difícil de ocorrer. Primeiramente, números na mesa. No hipotético cenário de a Juventus e Cristiano Ronaldo conquistarem todos os títulos que podem disputarão nos próximos anos, eles entrariam em campo 60 vezes por temporada - 38 pelo Campeonato Italiano, 13 pela Liga dos Campeões, cinco pela Copa Itália, dois pelo Mundial de Clubes e uma pela Supercopa Italiana e Europeia.

Ao longo da carreira, Ronaldo tem 725 gols como profissional em 1.002 jogos disputados, o que dá uma média de 0,72 gols por jogo. É claro que esse número une o início de carreira no Sporting, mas também serve para mostrar a possível queda de rendimento que a idade pode trazer ao astro.

Com isso, caso o português mantenha a atual média da carreira, vença todos os jogos e todas as competições possíveis nos próximos anos, demoraria 767 jogos parar tirar os 552 gols de diferença.

Isso significa que Cristiano Ronaldo demoraria 12 anos e sete meses para quebrar o recorde de Pelé, atingindo esse feito tendo incríveis 47 anos. Muito difícil, mas conhecendo o astro, difícil dizer que é impossível.

Se somado a lista todas as datas-Fifa ao longo desses doze anos (contando a Copa do Mundo, as Eliminatórias e a Liga das Nações), o número se manteria na casa dos 12 anos, diminuindo apenas a diferença de meses.