Análise: Alef Manga credencia Volta Redonda para disputar vaga nas semifinais da Taça Guanabara; ao Flu faltou fôlego

O Globo
·2 minuto de leitura

Após a sexta rodada, o Volta Redonda se credencia definitivamente para um lugar nas semifinais da Taça Guanabara. Com um futebol consistente, o time abriu 2 a 0 sobre o Fluminense, levou o empate, mas com um belo gol nos minutos finais venceu o Tricolor por 3 a 2, nesta sexta-feira, em Bacaxá.

O resultado deixa o Volta Redonda na liderança da Taça Guanabara com 13 pontos, um a mais que o Flamengo, que joga hoje contra o Boavista, também em Bacaxá. O Fluminense continua com nove pontos, em terceiro lugar.

Após domínio do Volta Redonda no primeiro tempo, o jogo foi equilibradona etapa final. Quem fez a diferença foi o atacante Alef Manga, que marcou duas vezes, sendo um deles o gol da vitória, aos 44 minutos do segundo tempo. O jogador tem sido decisivo para o Volta Redonda, com gols importantes também na Copa do Brasil — fez dois no triunfo sobre o Castanhal-PA pela primeira fase da competição.

— Jogamos contra um time grande, sabíamos que seria difícil — disse o atacante, que tem em Bruno Henrique, do Flamengo, a inspiração no futebol. — Jogo um futebol parecido com o dele, de velocidade. Quero pegar a camisa dele no próximo jogo para dar para minha mãe, que é flamenguista. Ano passado, pelo Resende não consegui.

O gol no fim da partida, com bonito domínio de bola e corte na zaga, mostra que o time do Volta Redonda está em forma.

Já o Fluminense perdeu o fôlego na segunda metade da etapa final. Principalmente, por ter tido que correr atrás do prejuízo. Em menos de 20 minutos de partida, a equipe de Roger Machado já estava perdendo por 2 a 0, com gols de João Carlos e Alef Manga.

— Acabamos tomando dois gols que acabaram desequilibrando. Calor, gramado ruim, primeiro jogo nosso também... Sentimos ter que recuperar, correr atrás. As circunstâncias ficaram difíceis. Depois entramos no jogo. Mas fizemos um primeiro tempo muito ruim — analisou o atacante Fred, autor dos dois gols do Tricolor.

O Fluminense também pode colocar na conta da derrota o fato de alguns jogadores ainda estarem sem ritmo de jogo. Mas o principal problema do Tricolor foi, sem dúvida, as falhas na cobertura. Todos os gols do Volta Redonda saíram em falhas ou espaços deixados pela defesa. O zagueiro Frazan deixou João Carlos receber a bola em suas costas; Egídio deixou uma avenida por seu lado, e foi por ali que Alef Manga marcou o seu primeiro gol.

O intervalo foi benéfico para o Fluminense. Assim como as mudanças feitas por Roger Machado. Fred primeiro escorou cruzamento de Martinelli logo no início da etapa final; depois, ele pegou o rebote e completou de cabeça.