Análise: apesar do empate, dizer que o Botafogo foi melhor que o Avaí não é exagero

·1 minuto de leitura

Não é errado dizer que o Botafogo fez uma boa partida na Ressacada. Tudo bem que o ditado popular de “quem não faz, leva” se mostrou presente pois o Avaí não perdoou quando teve chance. Mas um voleio salvador de Marco Antônio, aos 47 minutos do segundo tempo, garantiu o 1 a 1 ontem. O empate foi justo? Não, pois o alvinegro fez por merece a vitória. Mas é um alento devido a possibilidade de quase voltar para o Rio de Janeiro de bolsos vazios.

Com o resultado, o Botafogo vai para a oitava colocação e fica com 12 pontos. Está mais distante que queria do G4, mas tem um jogo a menos. O alvinegro volta a campo no próximo dia 6 para enfrentar o CRB, no Estádio Rei Pelé.

Quem assistir aos melhores momentos da partida verá a quantidade de chances que o Botafogo desperdiçou. Teve com Navarro, outra com Luis Oyama — daquelas que não se pode desperdiçar. O melhor momento alvinegro no jogo foi na primeira etapa, quando o Avaí teve dificuldade para fechar espaço e dava uma incomum liberdade para o Botafogo chegar com velocidade. Completando a lista de chances, Pedro Castro ainda acertou o travessão.

Já na primeira grande oportunidade que teve, o Avaí marcou. Copete recebeu no bico da área e passou para Lourenço, que deu belo drible e bateu colocado. Porém, a derrota seria injusta. E Marco Antônio conseguiu salvar o alvinegro. De voleio, no último lance de ataque do time na partida, concluiu um empate merecido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos