Análise: Botafogo reflete falta de rumo da diretoria em derrota para o Goiás

·2 minuto de leitura

Fosse só uma derrota inesperada no cammpeonato, a torcida do Botafogo estaria menos incomodada. Mas os 2 a 0 para o Goiás são o sintoma do momento preocupante vivido pelo clube, que sofre com a inércia de sua diretoria. Há mais de uma semana sem um substituto para Marcelo Chamusca, a equipe refletiu em campo a falta de rumo da cúpula. Com isso, perdeu a invencibilidade no Nilton Santos pela Série B e segue flertando com a zona de rebaixamento.

O Botafogo está sem comando e sem reação na tabela. Com a derrota, a equipe chegou ao quinto jogo seguido sem vencer. Com 13 pontos, é apenas o 14º na tabela, posição que ainda pode piorar com o desenrolar da rodada.

A diretoria, que não se pronunciou nos últimos dias e ainda foi preterida por Lisca (ele preferiu ir para o Vasco), prometeu anunciar nesta quarta o nome de quem comandará a equipe. A expectativa é de que o escolhido já esteja na área técnica no jogo contra o Confiança, sábado, em Aracaju.

Em campo, o que se viu foi um Botafogo que pecava demais na execução. A equipe errou passes na saida de bola, tomou decisões equivocadas no terço final do campo e, quando teve a oportunidade de finalizar, não o fez bem. Chay foi o único que conseguiu mostrar um pouco de lucidez, mas seus bons passes acabavam não sendo bem aproveitados na frente.

Defensivamente, os alvinegros deram espaço demais e ajudaram o adversário a construir a vitória. Aos 24, em bola levantada na área, Barreto cochilou na marcaçao pelo alto e a bola sobrou para Rezende, livre, chutar para a rede.

Já aos 44, um gol que resume as fragilidades o clube. Após mais uma troca de passes errada do time no meio do campo, o contra-ataque do Goiás foi parar em Alef Manga, que passou como quis por Gilvan e ainda contou com a ajuda do "montinho artilheiro" para enganar Diego Loureiro e ampliar. Ou seja: um revés que passou pelos problemas do time e estruturais.

Na etapa final, as mudanças promovidas por Ricardo Resende não surtiram efeito. O Botafogo seguiu com mais volume, mas as melhores chances foram do Goiás, que só não marcou por causa das defesas de Diego Loureiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos