Análise: Busquets mostra a chave do sucesso para a Espanha, que ainda não é favorita mesmo após goleada

·2 minuto de leitura

A classificação da Espanha às oitavas de final da Eurocopa tem a assinatura de Martin Dúbravka. Tudo bem que, enfim, os comandados de Luis Enrique finalmente conseguiram ter uma boa atuação na competição, mas é difícil tirar a responsabilidade do goleiro eslovaco. Se a goleada foi de 5 a 0, é preciso falar da grande falha bizarra do goleiro, que determinou o resultado.

Sabendo que precisava do resultado para avançar, a Espanha mudou de postura e de formação tática. Abandonou o 4-4-2, recolocou Sergio Busquets na linha de volantes e abriu Pablo Sarabia na ponta. Voltou ao clássico 4-3-3, conhecido e pedido pelo torcedor espanhol, que rendeu o título da Copa do Mundo em 2010 e das Eurocopas de 2008 e 2012. Deu certo.

Não só pelas escolhas, mas também pela arriscada postura da Eslováquia. Diferentemente de Polônia e Suécia, a seleção nórdica avançou as suas linhas e decidiu pressionar a Espanha no campo de ataque. Afinal, também precisava do resultado para classificar. Até deu certo no início da partida, e mesmo quando Gerard Moreno perdeu o pênalti sofrido por Koke — aqui, mérito total de Dúbravka —, as coisas ainda caminhavam bem. Até a falha grotesca comprometer o resultado.

Um chute de longe que explodiu na trave, bola no alto, o goleiro tenta espalmar e empurra para dentro do gol. Poucas vezes o ditado popular de "abriu a porteira" foi tão visível.

Ao decidir avançar as linhas para reagir, a Eslováquia deu mais espaço, o que foi prato cheio para a Espanha avançar nos contra-ataques. Não demorou para Laporte fazer o segundo — este aproveitando o erro na linha de impedimento da defesa eslovaca.

Depois, três gols parecidos. Sarabia, Ferran Torres e Kucka (contra) construíram a goleada em jogadas trabalhadas, aproveitando a superioridade numérica da Espanha quando conseguia vencer a linha de marcação da Eslováquia. Em todos, com participação de Sergio Busquets.

Como a Suécia venceu o jogo contra a Polônia, a Espanha terminou a fase de grupos em segundo lugar no Grupo E, com cinco pontos. A Eslováquia ficou na terceira posição, com três pontos, mas saldo negativo de -5. Com isso, está eliminada do torneio. A adversária da seleção espanhola nas oitavas de final será a Croácia. A partida está marcada para o dia 28 de junho, segunda-feira da semana que vem, no Estádio Parken, em Copenhague, Dinamarca.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos