Análise: como os números mostram que o título do Palmeiras passou pelos pés de Gustavo Scarpa

Independente de ser um dos destaques, se não o maior, do Palmeiras, time campeão brasileiro, e um dos grande candidatos ao prêmio de craque da competição, a história de Gustavo Scarpa é uma das mais interessantes do Campeonato Brasileiro.

Mesmo que o jogador tenha sido importante para o alviverde nas conquistas dos últimos anos, muito por conta da versatilidade, Scarpa vive possivelmente o auge na carreira nessa temporada. Aos 28 anos, o meia marcou seis vezes e deu 13 assistências — a última no 4 a 0 do Palmeiras contra o Fortaleza, nesta quarta-feira — no Campeonato Brasileiro. No quesito passes para gol, ninguém deu mais que Scarpa no Brasileirão.

Nas 35 rodadas necessárias para que o Palmeiras conquistasse o título, Scarpa jogou em 33. Dessas, 29 como titular. Em média, participou de um gol, com uma assistência ou balançando a rede, uma vez a cada 129 minutos.

— Alegria tremenda encerrar meu ciclo no Palmeiras com mais um título, esses números. Fico muito feliz. É uma despedida dos sonhos, com o título e o carinho da torcedor. Extremamente gratificante. Tô muito feliz — falou Scarpa.

Os números, aliados a liderança que Scarpa demonstra ter em meio ao elenco, não só técnica, mas no dia a dia, muito por conta da personalidade, que foge da mais comum entre jogadores de futebol, apontam para a importância do jogador no título brasileiro.

Atuando de forma mais “livre” no time, utilizando a versatilidade, o camisa 14 jogou como um ponta pelo lado direito que tende a centralizar mais o jogo, mas também circulou pela faixa central do campo, como mostra seu mapa de calor.

Num time que preza pela força coletiva, Scarpa conseguiu sobressair em relação a jogadores mais habilidosos, como Dudu e Raphael Veiga, justamente pela habilidade em jogar para si e também para os companheiros. Dessa forma, é possível afirmar que o título do Palmeiras passou muito pelos pés do meio-campista – principalmente do esquerdo, o forte.

Mesmo assim, por decisão própria, Scarpa já sabe que não ficará no Palmeiras. Com o sonho de viver na Europa, o meia assinou pré-contrato com o Nottingham Forest, da Premier League, ainda em julho. De qualquer forma, depois de um afastamento por negociação com o Almeria, da Espanha, em 2020, e uma quase ida para o Atlético-MG, o título brasileiro e o possível prêmio de craque da competição coroam um casamento que rendeu duas Libertadores, dois Brasileiros, dois Paulistas, uma Copa do Brasil, uma Recopa Sul-Americana e uma Florida Cup.