Análise: empate do Vasco está longe de condizer com a má partida do time

·2 minuto de leitura

No jogo que seria o mais importante da sua campanha até aqui nesta Série B, o Vasco acabou fazendo, talvez, a sua pior atuação em todo o torneio, embora tenha conseguido o empate com o Náutico em 1 a 1 no fim. Mesmo que tenha escalado o que tinha de melhor à disposição, com as peças que vêm jogando regularmente pela equipe, Marcelo Cabo conseguiu ao menos melhorar o time ofensivamente para o segundo tempo, o que demonstra que o time ainda depende muito de lampejos individuais e carece de força coletiva, independentemente de quem joga.

Cérebro do meio de campo vascaíno, Marquinhos Gabriel teve uma das piores atuações (se não a pior) pelo clube. E talvez tenha sido ele um dos principais erros de Cabo no jogo. O treinador não só manteve o jogador após o intervalo (sacou MT e Galarza, este em atuação ainda pior, diga-se), como o manteve em campo até os 33 da segunda etapa.

Para a sorte vascaína, foi justamente com a saída do meia que o jovem Arthur Sales entraria em campo — ainda que tardiamente. O jovem recuperou a bola, tabelou com Cano e deu ótimo passe de calcanhar para Morato, livre, marcar o gol de empate do Vasco.

Outros titulares da equipe, Gabriel Pec (que vinha de boas atuações, diga-se) só apareceu no jogo quando levou um amarelo por cavar uma falta na entrada da área, enquanto que Zeca, Andrey e Léo Matos pouco chegaram à frente e, mesmo assim, tiveram atuação fraca defensivamente. Até o zagueiro e capitão Castán, líder do elenco, escorregou em bola fácil na defesa e cedeu boa chance ao Náutico, quando ainda estava 1 a 0.

Em compensação, Léo Jabá e Juninho, que saíram do banco no intervalo, melhoraram a equipe, que passou a levar mais perigo ao gol do Náutico. No entanto, era o time pernambucano que seguia melhor, criando várias chances de aumentar o placar em São Januário.

Mas brilhou a estrela de Vanderlei. Apontado como um dos responsáveis pelo empate cedido ao Coritiba na última terça, o goleiro voltou a ter nova atuação de gala, mantendo a desvantagem do cruz-maltino em apenas um gol em três oportunidades claras do adversário e ainda salvando o time da derrota já no final da partida, na mais difícil das muitas defesas que fez ao longo do jogo.

A atuação coletiva do Vasco foi muito abaixo para quem briga pelo acesso, principalmente com a inconstância quando atua em seus domínios — são três derrotas até aqui.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos