Análise: Forma como Fluminense venceu o Cruzeiro mostra maturidade da equipe com Diniz

É um ditado popular entre os vizinhos do continente, mas existem jogos, principalmente eliminatórias, que é preciso ter casca para vencer. Nesta terça, no Mineirão, foi possível dizer que o Fluminense soube ser "copeiro" para se classificar às quartas de final da Copa do Brasil. Tendo a vantagem no placar, soube suportar a pressão de um estádio lotado e, mesmo sem jogar bem, venceu por 3 a 0. O triunfo atende por um nome: maturidade.

Classificado, o Fluminense garante R$ 3,9 milhões de premiação. O chaveamento não está definido, então o próximo adversário será conhecido através de sorteio da CBF.

Mas antes de falar sobre bola rolando, é preciso lamentar o clima de batalha no Mineirão. Infelizmente começou fora de campo, quando organizadas de Cruzeiro e Fluminense se enfrentaram no Mineirinho, nas ruas de acesso da torcida visitante. Dentro do estádio, em ação esdrúxula do policiamento local, bombas de gás lacrimogênio e de pimenta foram arremessadas contra a torcida tricolor para conter uma confusão. O problema é que centenas de famílias, entre idosos e crianças, estavam presentes no local, fazendo com que essas pessoas fossem pisoteadas e espremidas.

Esse ambiente bélico obviamente entrou em campo. Futebol mesmo, de qualidade, demorou para ser visto. O Fluminense teve suas boas oportunidades com Germán Cano e Jhon Arias. O Cruzeiro respondeu nas bolas aéreas, onde Fábio apareceu bem para fazer duas grandes defesas. Passado esse período, o jogo entrou em uma espiral de tensão que contrariava o bom futebol apresentado por ambas as equipes no Maracanã, no exemplo.

A começar por Paulo Pezzolano, técnico do Cruzeiro, que foi expulso após bater boca com o árbitro Raphael Claus. De líderes de elenco a jogadores mais novos. A cada bola dividida, bate bocas aos montes e confusão generalizada. Inúmeros cartões amarelos foram distribuídos, mas não conseguiram conter os ânimos exaltados.

Esse estilo favorecia o Cruzeiro, mas só até o cansaço bater. Quando os mineiros não conseguiram manter a intensidade, brilhou o futebol bem jogado do Fluminense. Após jogada trabalhada, de pé em pé, Arias bateu por cobertura para abrir o placar. Depois, aproveitando os espaços da defesa mineira, Cano definiu a classificação.

Deu tempo até até de Nathan fazer um golaço no final. Classificado, o Fluminense demonstra uma nova faceta: a da maturidade necessária para avançar em jogos eliminatórios.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos