Análise: Jogo perfeito coloca Palmeiras na semifinal da Libertadores

·1 minuto de leitura

Não espere um jogo muito bonito, vistoso, do Palmeiras. De posse de bola, de tramas de passes curtos, improvisações individuais. O estilo do time alviverde é outro, bem mais objetivo, de bem menos apego pelo controle da fase ofensiva, e de mais preocupação com a conclusão eficaz das jogadas, com a eficiência do jogo coletivo.

Foi isso que ele mostrou na sua melhor versão na vitória sobre o São Paulo por 3 a 0, que garantiu a classificação para a semifinal da Libertadores. Os gols foram marcados por Raphael Veiga, Dudu e Patrick de Paula. Como a partida de ida terminou empatada em 1 a 1, no placar agregado, foi goleada do Palmeiras: 4 a 1.

O Palmeiras está chegando de novo. Foi mortal, preciso nas transições rápidas, eficiente nas oportunidades que aparecem, seguro no setor defensivo.

O jogo se construiu à feição, ainda mais depois que abriu o placar. O time alviverde conseguiu fazer o primeiro gol com Raphael Veiga e recuou as linhas, o que faz tão bem. Deixou o São Paulo ter a bola e não saber o que fazer com ela. O Palmeiras sabia e assim construiu o resultado.

Atual campeão da Libertadores, reforçado por um Dudu que voltou sendo decisivo como nos melhores dias, o Palmeiras está vivíssimo pelo segundo título continental seguido. Abel Ferreira passou por momentos de instabilidade no começo da temporada, mas foi prestigiado pela diretoria. O prêmio por isso pode vir adiante.

O time enfrentará na próxima fase o vencedor de Atlético-MG x River Plate. No jogo de ida, os mineiros venceram os argentinos por 1 a 0, em Buenos Aires. A definição acontece amanhã, no Mineirão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos