Análise: Primeiros jogos das finais mostram que coadjuvantes poderão decidir o campeão da NBA

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Depois de sofrer uma doída derrota para o Boston Celtics no jogo um das finais da NBA, o Golden State Warriors precisava dar uma boa resposta neste domingo. Além da vitória ser importante para, claro, empatar as séries, um triunfo a altura da primeira partida também era fundamental no quesito emocional, para dar mais confiança aos jogadores dos Warriors e não criar a possibilidade do título ser decidido nos dois próximos jogos em Boston. Com um segundo tempo arrasador, a franquia da Califórnia venceu por 107 a 88 e empatou o confronto em 1 a 1.

O grande destaque da partida foi Stephen Curry, é verdade. Com 29 pontos, o armador foi, de novo, o cestinha dos Warriors e do jogo. Ao todo, o camisa 30 acertou 5/12 (41,6%) nas bolas de três, pegou seis rebotes defensivos, deu quatro assistências e roubou três bolas.

Mas no jogo um, Curry já havia sido o destaque dos Warriors, com 34 pontos. O que mudou da primeira partida para a desta noite foi a presença dos coadjuvantes californianos, o que não aconteceu do lado dos Celtics. O retrato disso é o "buzzer beater" sensacional de Jordan Poole para fechar o arrasador terceiro quarto do Golden State Warriors — parcial de 35-14, e run de 19-2 no final.

Com Klay Thompson em noite apagada (11 pontos, três rebotes, uma assistência e 1/8 nas bolas de três), os Warriors tiveram cinco jogadores com mais de dez pontos. Dos titulares, só Draymond Green, com nove pontos, não chegou aos dois dígitos. Além disso, com 5/9 nas bolas de três, Jordan Poole assumiu, ao lado de Curry, um pouco do protagonismo que já havia mostrado ao longo da pós-temporada.

Já no lado dos Celtics, a equipe teve o "Franchise Player" Jayson Tatum, com 28 pontos e um desempenho muito melhor do que no jogo um — embora, com cinco turnovers, tenha pecado no cuidado com a bola.

No entanto, Al Horford e Derrick White, destaques da primeira partida, combinaram para míseros 14 pontos (dois do pivô, que foi o melhor em quadra na quinta-feira). Jaylen Brown (17 pontos, seis rebotes e três assistências) e Marcus Smart (dois pontos, cinco assistências, dois rebotes e quatro faltas), outras estrelas do time, também não brilharam.

Com as próximas duas partidas indo para Boston, Celtics e Warriors voltam a se enfrentar na quarta-feira, às 22h, com transmissão da Band na TV aberta e da ESPN na TV fechada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos