Análise de venda de refinaria da Petrobras no Cade é adiada após pedido de vista

Tanques de combustíveis

(Reuters) - A conselheira relatora no Cade da análise de ato de concentração da venda da refinaria Reman pela Petrobras pediu vista do processo nesta quarta-feira, adiando a decisão do colegiado sobre o negócio feito com a Ream Participações S.A., do Grupo Atem.

A Refinaria Isaac Sabbá, no Amazonas, teve o contrato de venda assinado no ano passado e faz parte das oito refinarias das quais a Petrobras terá que se desfazer, para cumprir o Termo de Cessão de Conduta (TCC firmado) com o conselho em 2019. O negócio da Reman foi anunciado por 189,5 milhões de dólares.

A Superintendência-Geral do Cade já havia aprovado a operação no dia 12 de maio deste ano, mas ainda falta a apreciação de todos os conselheiros.

A análise da relatora Lenisa Rodrigues Prado versa, principalmente, sobre a possibilidade de criação de um monopólio regional no refino da região Norte, além de verticalização, já que o Grupo Atem já atua no ramo de distribuição de combustíveis.

O Grupo Atem afirmou, em nota, que não irá se manifestar sobre o processo enquanto não forem concluídas todas as suas etapas.

Procurada pela Reuters, a Petrobras não respondeu imediatamente.

Com o pedido de vista, o processo retornará à pauta da próxima sessão do Cade, no dia 17 de agosto.

(Por Rafaella Barros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos