Análise: volta de Giannis não será suficiente sem o fator que levou os Bucks às finais da NBA

·2 minuto de leitura

A ótima notícia para os Bucks na terça-feira foi, sem dúvida, o retorno do pivô Giannis Antetokounmpo. Dúvida por um problema no joelho esquerdo, não é possível saber se o grego está 100% ou sob que condições está atuando, mas um toco espetacular em Mikal Bridges no fim do segundo quarto dá a impressão de que os saltos não serão problema. Sua volta, todavia, não foi o suficiente para evitar uma derrota para um entrosado Phoenix Suns.

Mesmo antes da hiperextensão do grego no jogo 5 contra o Atlanta Hawks, os Bucks tinham trunfos que os ajudaram a ir tão longe nos playoffs: a coletividade, a entrega na marcação e a precisão nas bolas de três pontos. Ofensivamente, esse fator se materializa nos armadores Jrue Holiday e Khris Middleton. Na defesa, em Brook Lopez e PJ Tucker.

A velocidade, as trocas de passes e a marcação agressiva no perímetro precisarão estar em dia em partidas contra um adversário como o tão embalado como o Phoenix Suns. A noite foi novamente de Devin Booker (27 pontos) e Chris Paul (32), talvez a dupla de armadores mais entrosada da pós-temporada. As equipes que conseguiram bater a franquia do Arizona no mata-mata foram as que conseguiram cortar as linhas de passe entre a dupla e obrigar um dos dois a tentar jogadas individuais contra garrafões preenchidos de defensores.

O próprio garrafão foi um problema. DeAndre Ayton fez o que quis entre os pivôs dos visitantes e acabou com uma de suas melhores performances na pós temporada: 22 pontos e incríveis 15 rebotes.

Na terça-feira, Khris Middleton voltou a fazer bom jogo ofensivo. Foram 29 pontos, 4 assistências e 7 rebotes do principal foco de arremessos da linha de três dos Bucks — 5 acertos em 12 tentativas. Brook Lopez seguiu com a grande fase que vem tendo no ataque, e acertou três dos cinco arremessos de três pontos que tentou. Giannis, ainda recuperando o ritmo, matou uma das duas de três que tentou e se soltou ao longo da partida para chegar aos 20 pontos da noite. Mas um desempenho coletivo mediano puxou esses bons momentos para baixo.

Dos quatro quartos, três foram vencidos pelos Suns, e apenas o último, com o jogo resolvido, foi dos Bucks. A série segue em Phoenix na próxima quinta-feira, e a franquia de Wisconsin agora sabe que não basta apenas ter Antetokounmpo em quadra. Contra os Suns, será preciso novamente evocar jogos perfeitos na defesa, como os que ajudaram a eliminar Nets e Hawks na chave no Leste, aliados ao aproveitamento ofensivo que deixa os Bucks quase inalcançáveis em partidas de domínio, fator que os trouxe até a disputa do título.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos