Ana Moser toma posse como ministra dos Esportes: 'aqui a missão é mais difícil que em Cuba'

A ex-jogadora de vôlei Ana Moser tomou posse nesta quarta-feira como nova ministra do Esporte, pasta que foi recriada pelo governo Lula. Ao iniciar seu discurso como ministra, Ana Moser comparou o desafio à frente do esporte com os tempos quadras e a rivalidade com a seleção de Cuba, que marcou sua geração.

— Aqui a missão é mais difícil aqui do que Brasil e Cuba — disse a nova ministra.

Ana Moser é a primeira mulher a comandar o Esporte. Com a ela, o ministério volta a ser comandada por um atleta desde Pelé, morto na semana passada, que foi ministro extraordinário do governo Fernando Henrique Cardoso, entre 1995 e 1998.

Na posse, compareceram o ex-presidente do Flamengo e deputado federal eleito Eduardo Bandeira Mello (PSB-RJ) e a ex-jogadora de vôlei Marta Sobral, medalha de prata em Atlanta.

Perfil

Ana Moser integrou o time que levou a primeira medalha olímpica no vôlei feminino, em 1996, nos Jogos de Atlanta, nos Estados Unidos, quando o Brasil levou bronze. Cinco anos depois, ela fundou o Instituto Esporte e Educação, uma organizacão não-governamental que busca difundir o esporte e que já atendeu mais de 6 milhões de crianças no país. Ela dirige a ONG até hoje.

Durante o governo de Jair Bolsonaro, o Ministério do Esporte foi extinto, e uma secretaria especial para o tema foi criada sob o guarda-chuva do Ministério da Cidadania. Em governos anteriores do PT, a pasta foi comandada pelo PCdoB, que deve preencher cargos de segundo escalão no ano que vem.

Em novembro, Moser foi indicada pelo futuro governo para compor o grupo técnico dedicado aos temas relacionados ao Esporte na equipe de transição. Seu nome para o ministério surgiu a partir de uma vontade do presidente eleito Lula de manter uma mulher no comando da pasta. Comentarista esportiva, ela será a primeira mulher a comandar o ministério.