Ancelotti defende Vini Jr de acusações de provocação

Depois de ver seu jogador ser acusado de provocar adversários, Carlo Ancelotti disse que Vini é perseguido em campo.
Depois de ver seu jogador ser acusado de provocar adversários, Carlo Ancelotti disse que Vini é perseguido em campo. Foto: (Helios de la Rubia/Real Madrid via Getty Images)

Incomodado com mais uma leva de críticas ao atacante Vinicius Junior, por, supostamente, provocar os seus adversários dentro de campo, o treinador do Real Madrid, Carlo Ancelotti, saiu em defesa do seu atleta.

Em entrevista, 'Carleto' afirmou que: "Parece que Vini é um provocador e é ele que recebe mais faltas, mais pancada, mais empurrões. Mas na realidade é outra coisa, ele não falta com o respeito nem no âmbito do futebol nem no pessoal. E isso não vale só para os jogadores com mais qualidade, vale para todos. Se fala muito pouco de fair play na Espanha, nos outros países isso é mais comum. E isso pode ser a coisa mais importante do futebol".

Leia também:

Já sobre as provocações, o italiano disse que: "Nisso ele tem que melhorar, provocar não é fair play, você entra no campo para jogar futebol, não para irritar. É claro que ele pode melhorar nisso, ele é muito novo e vai amadurecer. Ele ama o futebol e joga no mais alto nível possível. A provocação não é rotineira, o que ele faz não é certo, mas é difícil ensinar isso porque ele acha que não está provocando ninguém".

Jogador tentou intimidar Vini Jr com medo de lesão para Copa

No mesmo dia em que teve sua convocação confirmada para a Copa do Mundo do Catar, que será realizada entre os dias 20 de novembro e 18 de dezembro deste ano, o atacante brasileiro Vini Jr teve de passar por uma situação incômoda na partida do Real Madrid contra o Rayo Vallecano, válida pela 13ª rodada de La Liga.

Ivan Balliu, lateral do adversário da última segunda-feira, admitiu em entrevista à Rádio Marca, que tentou intimidar o brasileiro falando que, caso ele se lesionasse, iria perder a oportunidade de jogar uma Copa do Mundo: "É difícil parar jogadores assim. Temos que buscar esses truques, esse outro futebol. Tentava ir mais forte, marcar território... e fazer com que ele tivesse na cabeça de que, horas atrás, havia saído a lista do Brasil. Mas saiu tudo bem".