Anderson, do grupo Molejo, afirma ter solicitado relatório médico para arcar com tratamento de cantor

Paolla Serra
·2 minuto de leitura

No depoimento que prestou ao delegado Reginaldo Guilherme, titular da 33ª DP (Realengo), o pagodeiro Anderson de Oliveira, conhecido como Anderson Leonardo, vocalista do grupo Molejo, afirmou ter solicitado um relatório médico a mãe do cantor e dançarino Maycon Douglas Porto do Nascimento Adão, o MC Maylon. O pagodeiro afirma ter sido procurado pela dona de casa cerca de um mês depois de os dois manterem relações sexuais no hotel Queen, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio. Enquanto MC Maylon diz ter sido estuprado, Anderson Leonardo garante que tudo ocorreu de “maneira consensual”.

No depoimento, ao qual o EXTRA teve acesso, o artista disse ter recebido Jupira Pinto depois de um show, nos primeiros dias de janeiro. Ele contou que a mulher perguntou por que ele “não dava mais atenção” ao rapaz. Anderson disse ter respondido que, em virtude de seus “compromissos profissionais”, não iria poder cuidar da carreira de Maycon, mas que isso se “resolveria com o tempo”.

Em seguida, conforme contou o pagodeiro, a dona de casa teria dito que seguiu o carro dele na noite de 11 de dezembro do ano passado e viu quando o veículo, onde também estava seu filho, entrou no Queen. O músico diz ter confirmado a ida ao hotel, alegando que o jovem é maior de idade e que tudo ocorrera com a “permissão” dele, não havendo, portanto, “problema algum” no encontro.

Na ocasião, Jupira teria desconversado e já entrado no assunto do pagamento do tratamento para o filho, segundo o vocalista do Molejo. Ele disse que, a fim de não dar prosseguimento ao tema, solicitou que lhe fosse enviado o relatório médico e informou que “caso fosse necessário, arcaria com as despesas do tratamento” do rapaz. Anderson afirmou, entretanto, que nunca recebeu o documento.

O músico reiterou que, depois dessa data, Maycon contou frequentando suas apresentações e nunca mencionou o suposto estupro tampouco lhe pediu ajuda para pagar tratamento e/ou medicamentos.

Em depoimento prestado na mesma delegacia, Jupira Pinto confirmou ter procurado o pagodeiro. Segundo ela, ele aceitado o acordo proposto desde que “tudo fosse esquecido”, em referência a suposta violência sexual. Com a resposta positiva do artista, ela disse ter ficado esperando seu contato, o que nunca teria ocorrido. A mulher relatou ainda ter ligado para um secretário do vocalista do Molejo para que uma reunião fosse marcada, mas não teria tido sucesso.

- Quando eu fui conversar com ele, era para pedir que ele visse médico para o Maylon. Expliquei bem para ele, que Maylon precisava de médico depois que ele cometeu isso com o Maylon, que ele fez essa coisa horrorosa. O Anderson fez sem camisinha. Maylon de 21 anos. E Anderson com a idade que tem. Maylon nunca tinha tido parceiro. Falei para ele: eu não tenho condições de levar meu filho para fazer exames particulares. Então eu dependo da ajuda dos meus amigos, como está acontecendo agora - disse a dona de casa, em entrevista ao EXTRA.