Anderson Leonardo, vocalista do Molejo, nega acusação de estupro; cantor que denunciou rebate

Extra
·2 minuto de leitura

O cantor Anderson Leonardo, vocalista do grupo Molejo, negou a acusação de estupro feita contra ele pelo cantor e dançarino Maycon Douglas Pinto do Nascimento Adão, o MC Maylon. Em nota, Anderson se disse "surpreso" com o caso, e refutou a denúncia feita pelo jovem. Ele diz ser empresariado por Anderson e afirma ter sido violentado sexualmente num quarto de motel em Sulacap, na Zona Oeste do Rio.

Anderson disse não ter nenhum conhecimento do caso. Ele conta que não foi intimado a prestar esclarecimentos à polícia, e não tinha ciência do que constava no boletim de ocorrência registrado na 33ª DP. O cantor afirmou que conhece o rapaz, e argumentou que o jovem compareceu a apresentações musicais do Molejo após o episódio de violência, que, segundo a denúncia, teria ocorrido em 11 de dezembro de 2020.

"O cantor esclarece ainda que lamenta profundamente as declarações envolvendo seu nome, refutando qualquer ato de violência contra quem quer que seja, negando categoricamente à acusação completamente falsa de agressão sexual feita em seu desfavor. Em mais de 30 anos de vida pública, jamais tivera seu nome ligado a qualquer ato criminoso ou que viesse a desabonar ou macular a sua imagem e carreira, seja de sua vida profissional ou pessoal. Informa também que conhece a suposta vítima, mas jamais praticou os atos veiculados na imprensa, inclusive, tem conhecimento que a suposta vítima já esteve presente em diversas apresentações artísticas do Cantor, em ocasiões posteriores à falaciosa alegação, o que demonstra, claramente, que a narrativa publicada nunca ocorreu", diz o comunicado.

Ainda na noite de quarta-feira, o jovem negou que o caso seria "sensacionalista" e que ele estaria buscando fama por meio da acusação.

— Os amigos dele estão falando que eu quero fama e dinheiro. Ele errou. Eu não quero nada dele. Um amigo dele me mandou mensagem dizendo que eu só quero fama, Ibope. Ele fala isso porque não foi o sonho da filha dele que foi destruído. Eu sou gay sim. Tenho 21 anos sim. Só queria ter casado virgem e ele acabou com esse meu sonho — disse em sua conta do Instagram.

À polícia, o denunciante disse que conheceu Anderson Leonardo há oito meses. Ele contou ter dito ao pagodeiro que gostaria de fazer um trabalho artístico com ele, e que Anderson elogiou sua voz. A partir daí, eles teriam feito um acordo verbal para que ele participasse de eventos patrocinados por Anderson, segundo ele, sem nenhuma remuneração. Os dois não demoraram a criar intimidade. Em publicações nas redes sociais, o cantor chama Anderson de "pai", "padrinho", e mostra gratidão pelo vocalista do Molejo.

A admiração do rapaz por Anderson Leonardo se tornou tamanha, que ele decidiu, inclusive, tatuar o rosto do ídolo no braço. Poucos dias depois da data em que diz ter sofrido as agressões sexuais, ele chegou a publicar um vídeo onde Anderson Leonardo aparece cantando com o Grupo Molejo.