Anderson Torres poderá pedir delivery na prisão, decide justiça

Ex-ministro do governo Bolsonaro teve a prisão decretada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, no último dia 10

Anderson Torres teve prisão decretada pelo ministro Alexandre de Moraes (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Anderson Torres teve prisão decretada pelo ministro Alexandre de Moraes (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

O ex-ministro da Justiça Anderson Torres poderá pedir delivery na prisão. Ele está preso desde o último sábado (14), no Batalhão de Aviação Operacional da Polícia Militar, em Brasília.

Segundo informações da CNN Brasil, por ser profissional de segurança, Torres tem direito de ficar em uma “sala de Estado Maior”, o que significa que a sala oferece condições adequadas de higiene e segurança.

Como é o local onde o ex-ministro está preso?

  • Tem corredor de acesso isolado e mantido policial em guarda 24 horas por dia;

  • Sala sem grades;

  • Espaço com sala de reuniões, sofá e uma mesa com 4 cadeiras;

  • Alojamento adjacente, com uma pequena recepção com frigobar;

  • Alojamento com banheiro;

  • Dois armários abertos;

  • Uma beliche.

Delivery

Como o local não possui cozinha acessível às pessoas presas, a juíza da Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, Leila Cury, autorizou:

  • Ingresso de microondas para preparo de alimentos;

  • Recebimento diário de refeições encaminhadas ao local pelos advogados ou familiares;

  • Instalação de televisão na Sala de Estado Maior.

Na terça-feira (17), Torres pôde conversar com uma psicóloga. Segundo pessoas próximas, ele está “abalado” e “angustiado” desde que recebeu a ordem de prisão.

Por que Torres foi preso?

Ele é acusado de ter facilitado os atos terroristas no Distrito Federal no dia 8 de janeiro e sabotado o esquema de proteção montado para evitar os ataques.

Torres não estava em Brasília no momento da invasão e depredação da sede dos Três Poderes. Como secretário de Segurança do DF, era a maior autoridade em segurança da capital depois do governador Ibaneis Rocha (MDB), afastado por ordem de Moraes.

Em despacho que determina a prisão, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), aponta que houve “descaso” e “conivência”.

Depoimento

Na quarta-feira (18), Anderson Torres teve a chance de prestar depoimento à PF (Polícia Federal), mas decidiu ficar em silêncio durante toda a abordagem dos policiais no 4º Batalhão da Polícia Militar do Distrito Federal.

A equipe da PF chegou ao local por volta das 10h30, mas saiu pouco depois, às 12h, após ouvir do ex-ministro que não tinha declarações a dar aos agentes.