Aneel decide que conta de luz não terá custo adicional em setembro

Aneel decide que conta de luz não terá custo adicional em setembro
Aneel decide que conta de luz não terá custo adicional em setembro
  • A Aneel disse que manterá a bandeira tarifária verde para todos os consumidores;

  • No final de todo mês, a agência decide a cor da bandeira para o mês seguinte;

  • Em vigor desde 16 de abril, a bandeira verde deve continuar acionada até o final do ano.

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou nesta sexta-feira (26) que manterá a bandeira tarifária verde para todos os consumidores em setembro. Com isso, não haverá acréscimos à tarifa de energia no mês. O sistema de bandeiras tarifárias foi criado pela Aneel para sinalizar o custo da geração de energia. No final de todo mês, a agência decide a cor da bandeira para o mês seguinte.

Em vigor desde 16 de abril, a bandeira verde deve continuar acionada até o final do ano por conta da recuperação dos reservatórios

"Essa sinalização reflete boas condições de geração de energia elétrica sem cobrança adicional nas contas de luz, mesmo considerando previsão de crescimento do consumo de energia no País", informou a agência.

As bandeiras tarifárias

Criadas em 2015, as bandeiras tarifárias servem de representação da capacidade de produção de energia do país e seus custos. Elas foram adotadas para que essa informação ficasse clara à população brasileira, que não precisaria mais ficar confusa com aumentos e recuos inexplicados. Dessa forma o consumidor final pode entender claramente o motivo da taxa extra. É importante destacar que essa metodologia só é utilizada para cidades e estados ligados ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

  • Em primeiro lugar temos a bandeira verde, que representa um estado de produção de energia normal, com os reservatórios das hidrelétricas cheios e sem a necessidade de acionamento das usinas térmicas;

  • Em seguida temos a bandeira amarela, que demonstra que as condições de geração de energia não são favoráveis. Essa bandeira incorria em um acréscimo de R$ 1,874 por 100 kilowatt-hora (kWh) consumido, porém com o aumento o adicional passará para R$ 2,989 por 100 kWh;

  • Depois temos as bandeiras vermelhas, divididas em patamar 1 e patamar 2. Estas servem para condições ainda piores de geração de energia, com o ativamento das termelétricas, que utilizam combustíveis fósseis para gerar energia, mais caros e mais poluentes. No patamar 1 havia um acréscimo de R$ 3,971, que foi aumentado para R$ 6,500. Já no patamar 2 o acréscimo era de R$ 9,492, mas agora passou a ser de R$ 9,795.

Por fim, devido ao grande nível de esvaziamento dos reservatórios hidrelétricos brasileiros, o governo criou também a bandeira escassez-hídrica, criada pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, órgão federal, ao invés da Aneel, agência reguladora. Esta bandeira ficou em vigor entre setembro de 2021 e abril de 2022 e acrescentou um valor de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumido pelo domicílio.