Anestesista acusado de estupro retirou marido de vítima da sala, diz depoimento

O médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra foi preso em flagrante acusado de estupro - Foto: Reprodução
O médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra foi preso em flagrante acusado de estupro - Foto: Reprodução
  • Marido reconheceu médico anestesista pela televisão

  • 'A gente tá ali confiando nos médicos e acontece uma coisa dessas'

  • Giovanni Bezerra foi preso acusado de estupro nesta segunda-feira

O marido de uma das supostas vítimas do médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra afirmou, em depoimento na Delegacia de Atendimento à Mulher de São João de Meriti, que o suspeito o retirou do centro cirúrgico durante o nascimento de seu filho.

"O rapaz que dá anestesia mandou eu sair na metade. Eu não tinha visto nem a criança e minha esposa já tinha dormido", afirmou.

Uma segunda mulher se apresentou na Delegacia de Atendimento à Mulher de São João Meriti, na Baixada Fluminense, para testemunhar contra o médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra. Ele foi preso em flagrante na madrugada desta segunda-feira (11) pelo estupro de uma paciente que estava dopada e passava por uma cesárea no Hospital da Mulher Heloneida Studart.

O marido conta que reconheceu o médico pela televisão. "Quando eu bati de frente na televisão era ele. Já com esse caso. Muita raiva. A gente tá ali confiando nos médicos e acontece uma coisa dessas", contou.

Na denúncia do primeiro caso, é relatado que Giovanni esperou o acompanhante sair da sala para cometer o estupro.

Os serviços do SUS, e de redes conveniadas, devem garantir o direito à presença de um acompanhante durante todo o trabalho de parto e pós-parto. A pessoa deve ser indicada pela gestante.

Segunda denúncia

Familiares de uma mulher de 23 anos afirmaram aos policiais que ela também foi vítima de estupro durante uma cesárea realizada no mesmo hospital, no dia 6 de julho. Sua mãe afirma que a filha saiu totalmente dopada do procedimento e que acordou apenas no dia seguinte à noite.

Ainda segundo a mãe, a filha acordou com uma substância branca no pescoço. Inicialmente, a família achou que era resultado de algum procedimento do hospital. Quando assistiu ao noticiário nesta segunda e viu que o médico havia sido preso, ela concluiu que sua filha também havia sido vítima de um estupro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos