Anestesista preso por estuprar mulher durante o parto tem habeas corpus negado

Anestesista foi preso por estupro durante parto realizado em julho deste ano - Foto: Reprodução
Anestesista foi preso por estupro durante parto realizado em julho deste ano - Foto: Reprodução

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, negou na última quinta-feira (17) um habeas corpus pedido pela defesa do anestesista Giovanni Quintella Bezerra, de 31 anos, preso em flagrante por estuprar uma mulher grávida que estava sedada durante uma cesárea.

O crime ocorreu em julho deste ano no centro cirúrgico do Hospital da Mulher Heloneida Studart, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, no Rio.

O pedido foi negado pelo desembargador Celso Ferreira Filho, da 2ª Câmara Criminal do TJRJ. O processo tramita em segredo de justiça.

No começo deste mês, outro pedido de habeas corpus já havia sido

Preso há quatro meses, a primeira audiência sobre o caso está prevista para o dia 12 de dezembro.

Relembre o caso

O anestesista Giovanni Quintella Bezerra foi preso e autuado em flagrante, na madrugada do dia 10 de julho, por estupro. O anestesista abusou de uma paciente enquanto ela estava dopada e passava por um parto cesárea no Hospital da Mulher em Vilar dos Teles, São João Meriti, município na Baixada Fluminense.

A investigação começou após funcionários da unidade de saúde desconfiaram da conduta do médico e o filmaram colocando o pênis na boca de uma paciente quando ele participava do parto dela. A gravação foi entregue a investigadores da Delegacia de Atendimento à Mulher de São João de Meriti.

O vídeo que flagrou o crime foi feito pelo celular de uma das profissionais que acompanhavam a cirurgia. O aparelho ficou escondido na parte interna de um armário localizado dentro do centro cirúrgico. O anestesista foi preso em flagrante no dia 10 de julho e sua prisão foi convertida em preventiva - que não tem prazo para expirar -, após passar por audiência de custódia.