Anistia Internacional acusa Rússia de crimes de guerra em Kharkiv, no leste da Ucrânia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os bombardeios constantes da Rússia contra a cidade de Kharkiv, no leste da Ucrânia, com munições de fragmentação e o espalhamento de minas terrestres são crimes de guerra que mataram indiscriminadamente centenas de civis, afirmou a Anistia Internacional nesta segunda-feira (13).

Segunda maior cidade da Ucrânia, Kharkiv esteve sob bombardeio quase constante desde o início da invasão pela Rússia, em 24 de fevereiro, até que as forças ucranianas conseguiram afastar as tropas russas em maio. Segundo a Ucrânia, 606 civis foram mortos nos ataques, e 600.000 pessoas foram retiradas da cidade.

"Os repetidos bombardeios de bairros residenciais em Kharkiv são ataques indiscriminados que mataram e feriram centenas de civis e, como tal, constituem crimes de guerra", disse a Anistia Internacional no relatório da investigação de 14 dias, entre abril e maio, que fez no local.

O Ministério da Defesa da Rússia não respondeu às acusações. Em outras ocasiões, a Rússia negou ter mirado civis e acusou a Ucrânia de falsificar provas de crimes de guerra.

Nem a Rússia nem a Ucrânia são signatárias do acordo internacional que proíbe as munições de fragmentação. Mas o uso de tais armas ainda pode ser considerado crime de guerra se for indiscriminado e matar ou prejudicar civis, segundo a entidade

O órgão afirma que também descobriu que as forças ucranianas violaram o direito internacional humanitário ao posicionar artilharia perto de prédios residenciais, atraindo fogo russo, mas ressalta que "de forma alguma isso justifica o implacável bombardeio indiscriminado da cidade pelas forças russas".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos