Anitta é homenageada em novo clipe de Xamã, 'Áries': 'Maior artista pop do Brasil'

Isabella Cardoso
·3 minuto de leitura

A temporada de Áries na Astrologia se encerrou nesta semana, mas, no mundo da música, está prestes a começar. O rapper Xamã lança hoje o clipe de “Áries”, de seu CD “Zodíaco”. A canção é uma homenagem a uma ariana bastante popular: Anitta. O trabalho seria uma parceria com a cantora, o que acabou não se concretizando por conflitos de agenda. Para celebrar a funkeira no vídeo, no entanto, o artista convocou diversas drag queens, que representam alguns dos clipes mais icônicos da Poderosa — com quem o cantor já postou stories sensuais no fim do ano passado, para loucura dos fãs.

— São drag queens perfomando Anitta, fazendo referências a clipes como “Bang”, “Vai, malandra”, “Sua cara”, “Downtown”... Esse trabalho me deu um gás porque eu queria que Anitta gostasse e se sentisse homenageada. Não conseguimos fazer o som juntos. Mas foi incrível trocar ideia com ela, que curtiu a música — conta o cantor, avisando que o clipe será um surpresa para a artista: — Eu já tinha dito que ia fazer o vídeo, mas ela não sabe sobre o que é. É um dos clipes mais incríveis que consegui fazer na minha carreira. Uma homenagem inusitada para a maior artista pop do Brasil. Nenhum outro chegou a esse nível que ela alcançou.

Lançado em dezembro, “Zodíaco” dedica uma música a cada signo. Para conseguir representar cada um deles, Xamã, que não ligava muito para Astrologia, convidou uma astróloga para ensiná-lo sobre o assunto. Assim, compôs as canções, e o produtor Neo Beats selecionou as batidas que combinavam. Na hora da gravação do CD e dos clipes, sua equipe fez questão de ter profissionais dos respectivos signos, como maquiadores, diretores e fotógrafos. Além, é claro, das parcerias. O rapper divide os vocais com Agnes Nunes em “Escorpião”, Marília Mendonça em “Leão”, Gloria Groove em “Capricórnio” e Luísa Sonza em “Câncer”.

— Hoje, eu acredito que sou 100% Escorpião em quase tudo que eu faço, o que escrevo e no modo como eu me comporto, para o bem e para o mal. E chegou um momento em que eu não conseguia mais colocar uma outra identidade que não fosse a de escorpiano nas músicas. Então, tivemos a ideia de trazer não só as cantoras, mas também profissionais da maquiagem, diretores e fotógrafos de cada signo — explica o rapper, que aproveitou para fazer seu mapa astral, que ele mantém em sigilo: — Não vou te contar, senão você vai saber meus segredos (risos).

O que não é segredo para ninguém é o sucesso que Xamã anda fazendo. Na semana passada, ele lançou um feat. com Ludmilla, “Gato siamês”. Os dois já haviam trabalhado juntos recentemente, ao lado de Dennis DJ, em “Deixa de onda”, que está entre as 20 mais tocadas no país nas plataformas de streaming. Com números impressionantes, ele é, atualmente, o rapper brasileiro mais tocado, além de ser também o mais seguido no Instagram. O carioca de 31 anos diz que nunca imaginou que alcançaria tudo isso na vida.

— Morei em Sepetiba, Campo Grande e Bangu, e nesses lugares é muito louco falar que vai ser escritor, cantor, músico. É algo quase inalcançável. Eu era vendedor de roupa e escritor, camelô e poeta — destaca ele, que diz nunca ter achado que seria artista: — Tive minha primeira oportunidade aos 25 anos e só então consegui entender que era um cantor. Mas se você me falasse que eu seria o rapper mais ouvido do Brasil, eu te deixaria falando sozinha e sairia pensando que era loucura.

Com três álbuns na carreira, Xamã tem uma lista de projetos para este ano. Ele participará do próximo “Poesia Acústica”, um dos maiores projetos de rap/hip hop do país, além de três feats internacionais. Como se não bastasse, ainda está se dedicando a um livro de poesia.

— São escritos já lançados e outros que ainda não foram, além de anotações desde que me dei conta de que tinha aptidão para escrever — conta ele, que brinca: — Depois que acabar a pandemia, estou aceitando até cantar em festa de aniversário de criança. Fazer “Ilariê’’ versão rap (risos) e o que tiver.