Anitta diz praticar idiomas flertando com homens e mulheres e revela que foi Snoop Dogg quem a procurou

Anitta é mais recente cantora abordada pela revista "Rolling Stone" na série "Então, como foi sua década". Na sequência, artistas de destaque nos últimos dez anos respondem a um questionário sobre música, cultura e momentos memoráveis ​​que moldaram sua década. Para justificar a entrevista, a publicação acredita que "é excepcionalmente raro que um artista brasileiro quebre o mercado internacional da música". Durante o bate-papo, Anitta diz que pratica idiomas flertando com homens e mulheres, e que foi Snoop Dog quem a procurou para parceria. Além disso, conta que é amiga de Caetano Veloso.

"Pratico idiomas flertando com as pessoas. Ajuda namorar homens de língua espanhola. Ou garotas. Tanto faz!", diz à publicação.

Ela ainda diz que a parceria com Snoop Dogg e Madonna promoveram seus melhores encontros da década com colegas artistas. "Snoop Dogg é um gênio. Ele me ligou porque viu minha série da Netflix. Ele era como 'Uau, eu te amo. Eu sou seu fã. Eu quero cantar com você'. E eu fiquei tipo 'O que é isso? Venha estar no meu álbum', relembra ela.

Anitta também contou que a realização mais "louca" dos últimos anos foi abrir os Jogos Olímpicos, em 2016, ao lado de Gilberto Gil e Caetano Veloso. "Caetano é meu amigo agora. Ele é de uma época antiga no Brasil, mas na época era um cara novo que as pessoas não entendiam. Quando ele vê um novo artista, se não gosta diz 'O que é essa merda urbana?'. Se gosta, 'Uau, tão novo, tão refrescante!'. E, assim como eu, ele acredita que há música boa e ruim em todos os lugares e em todos os ritmos", revela.

 

A cantora também abordou outros assuntos, como ter aprendido a não dar importância para o que pensam dela e que o boato mais estranho que envolvendo seu nome foi que estava clareando a pele. No auge da carreira, Anitta diz que se sente realizada.

"Coloquei no papel tudo o que me faria sentir satisfeita. Se não fosse por isso, eu estaria numa busca eterna, isso não me faria feliz. Escrevi o que pensava que só conseguiria realizar aos trinta e poucos anos. Já fiz tudo e agora estou realizada", conclui.