Aniversário de Magé será celebrado com shows on-line

·2 minuto de leitura

A cidade de Magé completa hoje 456 anos de fundação. E, para celebrar a data, uma live gratuita com diversos artistas será realizada no YouTube, a partir das 17h. Para isso, a região de onde serão transmitidos os shows, o Morro do Bonfim, ganhou uma repaginada. As paredes da igreja, a cruz e a calçada foram pintadas, e a grama, cortada.

Mas, para os moradores da cidade, ainda há muito a se fazer no município. O aposentado João Pedro Macedo, de 73 anos, que vive há mais de 50 em Magé, afirma que por causa da pandemia não é possível comemorar nada, e que o saneamento deve ser melhorado. Ele destaca, porém, que a tranquilidade é um ponto positivo do lugar.

As moradoras de Praia de Mauá, Adriana e Daiana Oliveira, mãe e filha (49 e 31 anos), também concordam que não há muito motivo para comemorações.

— Acho que a saúde poderia melhorar na região onde a gente mora. Não tem hospital, só posto. Em caso de emergência, tem que ir para Saracuruna. É bem distante. — reclama Adriana.

De desejo para o aniversário da cidade, Daiana espera saúde e alegria.

— O povo está muito triste por causa das mortes da pandemia, muita gente perdeu familiares — lamenta.

A live terá como atrações os cantores Rômulo e Ricardo, o grupo Só Alegria e a banda Blocks, além de Rayssa Mozzer, Bia Borges, Aimê Brás, Nathalia Viana e Matheus Gama, além de queima de fogos de artifício.

Para o ambulante Alex Moreira, de 58 anos, a cidade só tem uma coisa para comemorar: sua história. O carioca de Bangu, que vive em Magé há 27 anos, conhece a história da cidade, e acha que um morador ilustre da região deveria ser mais valorizado: o ex-jogador Garrincha.

— Pela idade de Magé, está tudo muito atrasado. Não tem área de lazer, não tem emprego. Magé só tem uma coisa de boa: Garrincha! Mas ele está esquecido. Era para ter uma estátua dele aqui — afirma Alex.

Já o aposentado João Martins, de 77 anos, que mora próximo à Guia de Copabaíba, acha que o ponto turístico merece uma atenção maior:

— Eles tinham que arrumar essa estação, que teve um vento que derrubou o telhado no ano passado. Acho que pode melhorar a ponte, botar iluminação nessa área.

Nascido no Espírito Santo, e vivendo em Magé há mais de 10 anos, o aposentado, que gosta de pescar na Baía de Guanabara, afirma que a cidade é um bom lugar pra viver:

— Eu gosto. O camarão daqui é o melhor que tem.

A live pode ser acompanhada gratuitamente pelo seguinte link: https://www.youtube.com/watch?v=tmQ515cUfwU.