Ano novo, carreira nova? É preciso planejamento

Patricia Valle
1 / 4

2020.jpg

Fim de ano, hora de pensar em por as mudanças em prática

O fim de ano é uma boa hora para repensar o que deu certo e o que é preciso mudar. E muita gente chega à conclusão que a vida profissional precisa de uma guinada radical. Cada vez mais pessoas buscam trocar de carreira, mas não sabem por onde começar.

— Hoje é normal mudar de profissão, até mais de uma vez ao longo da vida, e as empresas já entendem isso. O importante é ter foco na mudança — afirma Lúcia Madeira, presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos do Rio de Janeiro.

Segundo os especialistas em RH, a maioria das pessoas não sabe o que quer fazer. Nesse caso, o recomendado é, primeiro, fazer uma análise de autoconhecimento e ver que perfil profissional poderá ser seguido. Mesmo quem já escolheu o novo caminho deve pedir orientação.

— Fazer uma mudança de carreira pode ser uma corrida de obstáculos. É muito importante ter um acompanhamento de um mentor, uma pessoa que ajude a fazer os questionamentos certos e com clareza e que dê apoio — diz Vivian Wolff, coach cerificada pelo Integrated Coaching Institute (ICI).

Profissionais de psicologia e coach de carreiras são uma boa opção, além de testes de perfil profissional. Mas, pessoas próximas também podem ajudar a entender onde se encaixar e se conectar com outros, como companheiros de trabalho e família. Procurar uma rede de contatos na área é muito importante. Isso pode ser feito pela internet em redes profissionais.

Anete Ferreira, 55 anos, trabalhava com turismo e hoje é chefe de cozinha :

Eu sou historiadora, mas trabalhei mais de 25 anos como planejadora turística. Estava frustrada com o meu trabalho por quase nada ser colocado em prática. A princípio, quis mudar dentro da área, indo para a Gastronomia. Perguntava para quem eu conhecia que curso era o melhor na área e que se adequava à minha demanda de por a mão na massa. Resolvi entrar no curso do Senac.

Continuei trabalhando e fazendo o curso, onde conheci pessoas da área e fiz um networking muito importante. Aos poucos, fui entrando cada vez mais na Gastronomia e me afastando do Turismo. Percebi que eu queria mudar mesmo de área.

Quando me formei, vi que a área de Gastronomia tinha problemas de remuneração, já que o setor está em crise, com restaurantes fechando. Percebi que precisava fazer algo diferente para me destacar. Desde o ano passado, larguei de vez o Turismo e trabalho fazendo encomendas para projetos e eventos.

 

Quem está em meio à mudança tem dúvidas de como se posicionar no mercado, em currículos e em redes profissionais. Segundo Milton Beck, diretor geral do LinkedIn para a América Latina, é importante mostrar as experiências adquiridas:

— Não omita sua antiga experiência, ela ajuda a construir quem é o profissional que você é hoje e mostrar quais qualidades você adquiriu. Além disso, os anos de experiência são levados em conta pela plataforma na hora de aplicar-se a uma vaga, mesmo que de outra área.

Outro ponto importante é buscar diferentes competências em cursos e não se intimidar. O geofísico Lucas Rangel, de 29 anos, fez vários cursos no mercado financeiro, o que lhe deu uma oportunidade.

— Me candidatava às vagas e tinha um certo receio se iriam aceitar alguém de outra formação. Mas o mercado é bem aberto e passei em um processo seletivo para uma vaga temporária, que me abriu as portas na área.

 

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263).