Ansiedade, vergonha e desprezo: a análise da linguagem corporal de Cristiano Ronaldo no prêmio da Fifa

Giulia Costa
·1 minuto de leitura

As reações de Cristiano Ronaldo ao anúncio do prêmio de melhor do mundo a Robert Lewandowski foram o assunto da última quinta-feira. O craque, que concorria à premiação do Fifa "The Best" contra o polônes e Lionel Messi, fez cara de poucos amigos durante a condecoração do jogador do Bayern de Munique. A pedido do GLOBO, um especialista em linguagem corporal analisou as imagens do momento da premiação, e detectou sentimentos como vergonha e ansiedade nas expressões do português.

— No começo, a postura dá a entender que há muita apreensão e ansiedade. A forma como a mão está fechada junto com o cruzamento de braços indica preocupação e um tom de torcida. Percebemos pela posição da cabeça, para baixo com os olhos para cima, que o que lhe falta de confiança, há em esperança — avalia Armando Moucachen de Sant’Anna.

Especialista em microexpressão facial e linguagem corporal, Armando é formando pelo Paul Ekman Group, da Califórnia. O profissional observou que, quando os apresentadores do prêmio começaram a falar sobre os concorrentes, Cristiano muda de posição sete vezes em três segundos, em um claro sinal de incômodo.

— Ele não consegue se manter calmo e não sabe onde colocar a mão — percebe Armando,

Ao se falar de Messi, a postura do atacante da Juventus indica "alta rivalidade", de acordo com o especialista.

Após o nome de Lewandowski ser anunciado, Cristiano demonstra ainda vergonha e desprezo constante enquanto o presidente da Fifa, Gianni Infantino, faz seu discurso ao ganhador.

Armando acrescenta ainda que, no momento em que Lewandowski soube que era o vencedor, o português demonstra um triteza quase imperceptível, e também uma tentativa de transparecer que estava tudo bem.