Antônia Fontenelle fala de processo de testamenteiro de Chico Anysio: 'Querem me amordaçar'

Viúva de Chico Anysio diz que comediante se afundou em dívidas por vício em cavalos

Antonia Fontenelle se pronunciou sobre a ação que o testamenteiro de Chico Anysio, Paulo Cesar Pimpa da Silva, entrou contra ela e a viúva do humorista, Malga di Paula,  por conta de uma entrevista que Malga deu para o programa "Na Lata", de Fontenelle, em março. No processo, que tramita na 4ª Vara Cível da Barra da Tijuca, Paulo pede a reparação por danos morais, em razão de, segundo sua defesa, ter sido acusado por Malga de ter se apropriado de valores de Chico.

Em um vídeo publicado em seu Instagram nesta terça-feira, Fontenelle afirma que estão querendo "amordaça-la"."Meu casal tem 6 anos, é um veículo de comunicação. Eu presto um serviço. O que um convidado fala a respeito de quem quer que seja, não é de responsabilidade minha. Eu apenas ouço, não faço juízo de valor. Vejo claramente uma tentativa de amordaçar a imprensa, de calar a boca da gente. O que estão querendo fazer é me amordaçar. Na intimação que eu recebi, o juiz dá 24 horas para retirar a entrevista do ar. O que estão querendo fazer ao tirar essa entrevista do ar é me calar, uma vez que eu não fiz juízo de valor. Isso se chama censura", desabafou.
 

Na entrevista, foi citado o nome do testamenteiro de Chico - no registro, conforme destaca a defesa de Pimpa, Malga proferiu ofensas ao advogado, e alegou que ele teria se apropriado de valores oriundos do patrimônio deixado pelo humorista, morto em 2012.  "A única coisa que ele tem é que prestar contas das coisas erradas que ele fez e dos valores que ele se apropriou no inventário", consta de uma das declarações dada pela viúva a Fontenelle, na ocasião. O testamenteiro foi citado outras vezes durante o programa.

De acordo com a defesa, Pimpa, que prestou serviços para o humorista por cerca de 15 anos e também era considerado amigo dele, prestou contas do que foi feito com os valores à Justiça.

"Nessa entrevista, ela (Malga) disse que o Paulo teria se apropriado de valores de alugueis de salas comerciais que eram do Chico. Havia dívidas das salas, compromissos a serem pagos. Não sobrava muito dinheiro. E sobre isso, ele já tinha prestado contas na Justiça", explica a advogada Amanda Saraiva, do escritório Saraiva e Almeida Advogados, que cuida do caso.

Integram o espólio de Chico, de bens deixados para Malga, o apartamento na Barra da Tijuca e o aluguel de salas comerciais, alega a defesa. Os personagens e a imagem do humorista pertencem à Rede Globo.

Paulo Cesar Pimpa pede na Justiça a reparação no valor de R$ 30 mil para Malga, e o mesmo valor no caso da Fontenelle. Além delas, são réus no processo o Youtube e a Joven Pan, por terem veiculado a entrevista. Sobre esses dois últimos, no entanto, o pedido foi pela retirada do material do ar.

A Justiça, em caráter liminar, decidiu em favor de Pimpa e determinou a retirada da entrevista de Malga do ar, sob pena de multa diária.

Aos réus no processo, será solicitada a apresentação de suas defesas, com prazos determinados pela Justiça. Isso para dar prosseguimento à ação.