Antes das visitas a residências, Papais Noéis se concentram na Barra

·2 min de leitura

RIO — Se ao longo de dezembro cada Papai Noel ocupa, individualmente, seu trono, peça fundamental da decoração natalina de centros comerciais, todo dia 24 deste mês alguns deles têm a oportunidade de se encontrarem com seus pares. É o caso de 20 bons velhinhos da Escola de Papai Noel do Brasil, que, nesta data, costumam se reunir num hotel a fim de se prepararem para as visitas a residências na noite da véspera de Natal. Este ano, a concentração será no Hilton Barra, na Avenida Abelardo Bueno 1.430.

Os Papais Noéis começam a chegar por volta das 16h. A partir das 17h, ficam sob os cuidados da figurinista Fátima Cherem e da maquiadora Slanny Tavares Cherem. Às 18h, já devidamente vestidos com calça, blusão, gorro, luvas, óculos, cinto e a proteção facial de acrílico, começam a sair, cada um num carro alugado pela escola. O primeiro horário de visita é às 19h, e cada um faz cerca de seis.

Região concentra maioria das visitas

Cerca de 70% dos contratantes de Papai Noel são moradores de Barra, Recreio, Jacarepaguá e São Conrado, segundo Limachem Cherem, o fundador da Escola de Papai Noel do Brasil. As visitas duram aproximadamente 40 minutos, já que, a cada hora, os Noéis precisam estar num domicílio diferente. O contratante paga entre mil reais e R$ 1.500.

— Chegando à residência, o contratante encontra o Papai Noel na garagem do prédio, por exemplo, para deixar com ele os presentes que devem ser entregues às crianças e combinar o que deve ser conversado com os pequenos. Em seguida, eles tocam a campainha, entram cantando, interagem com a família e entregam os presentes. Esse encontro envolve muita emoção. Tem até idosos que choram, porque lembram da sua infância — conta Limachem.

O aposentado Saymon Claus, de 74 anos, trabalha esporadicamente como figurante ao longo do ano. No período natalino, atua como Papai Noel em shoppings e, desde 2011, integra a turma da Escola de Papai Noel que sai em comboio rumo aos domicílios.

— O que me marcou muito foi uma vez em que as crianças me atenderam e me presentearam com uma garrafa e um azulejo artístico decorados por elas mesmas — diz.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos