Antes de reajuste, diesel no Brasil já era o 83º mais caro do mundo

Antes do reajuste da Petrobras, diesel no Brasil já era o 83º mais caro do mundo
Antes do reajuste da Petrobras, diesel no Brasil já era o 83º mais caro do mundo
  • A pesquisa foi feita em 169 países;

  • A Venezuela tem o segundo menor preço médio do diesel no mundo;

  • Com o último aumento anunciado pela Petrobras, a posição do Brasil ainda deve piorar,

Uma pesquisa feita em 169 países mostra que o Brasil tem o 83º diesel mais caro do mundo, com o preço de R$ 6,610. Hong Kong foi o país com o maior valor registrado, R$ 13,289 pelo litro do combustível. O levantamento foi feito pelo site Global Petrol Prices e não leva em consideração o poder de compra dos consumidores.

Com o litro diesel vendido a R$ 0,113, a Venezuela tem a segunda cotação mais vantajosa do combustível no mundo, perdendo apenas para o Irã que comercializa o diesel a R$ 0,054 o litro.

Na América Latina, além do país governado por Nicolás Maduro, federações como Equador, Colômbia, Bolívia, Cuba, Argentina, México, Peru, Chile e Paraguai também possuem diesel com valor abaixo do cobrado nos postos brasileiros.

A colocação do Brasil pode cair ainda mais, isso porque a pesquisa levou em conta os preços cobrados até o dia 2 de maio, quando a Petrobras ainda não tinha anunciado o mais recente aumento do combustível. Comunicado pela estatal nesta segunda-feira (9), o reajuste foi de 8,87% para o preço cobrado nas refinarias.

Além disso, segundo a última pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), realizada entre os dias 1 e 7 maio, o preço médio do diesel no país estava em R$ 6,775. O valor é maior R$ 0,165 maior que o abalizado pela Global Petrol Prices.

Petrobrás aumentou o preço do diesel para R$ 4,91

A Petrobras anunciou, nesta segunda-feira (9), um aumento no preço do diesel para as distribuidoras. A partir de amanhã (10), a média do litro passa de R$ 4,51 para R$ 4,91. Os preços da gasolina e do gás de cozinha não serão alterados.

Segundo a estatal, o combustível não sofria reajuste há 60 dias, desde 11 de março. "Com esse movimento, a Petrobras segue outros fornecedores de combustíveis no Brasil que já promoveram ajustes nos seus preços de venda acompanhando os preços de mercado"

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos