Antes e amistiso contra a Rússia, jogadoras da seleção feminina publicam manifesto contra assédio

·1 minuto de leitura

Pouco mais de uma hora antes de netrarem em campo em amistso contra a Rússia, as jogadoras da seleção feminina se manifestaram sobre assédio em suas redes sociais. Atletas e dirigentes postaram em conjuto uma mensagem encorajando a denúncia e pedindo “respeito e igualdade além dos gramados”. As publicações ocorreram enquanto o presidente da CBF, Rogério Caboclo, enfrenta acusação de assédio por uma funcionária da entidade.

Há uma semana o dirigente foi afastado do cargo após a denúncia formal. Em entrevista coletiva na última quinta-feira, a treinadora Pia Sundhage se manifestou sobre o assunto. As dirigentes Duda Luizelli e Aline Pellegrino, que trabalham na CBF, também paticiparam do manifesto nas redes, além da estrela Marta.

O Brasil enfrenta a Rússia nesta sexta, às 16h, em amistoso preparatório para Tóquio-2020.

Leia o manifesto na íntegra:

"Todos os dias no Brasil, milhares de pessoas são acometidas e desrespeitadas com cenas de assédio, seja moral ou sexual. Especialmente nós, mulheres.

"São brasilerias e brasileiros, vítimas de abusos e atos que vão contra os nossos princípios de igualdade e construção de um mundo mais justo.

"Dizer não ao abuso são mais do que palavras, são atitudes. Encorajamos que mulheres e homens denunciem.

"Nossa luta pelo respeito e igualdade vai além dos gramados.

"Hoje mais uma vez dizemos: não ao assédios."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos