Antes do início de lockdown no DF, Ibaneis flexibiliza medidas

Julia Lindner
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - Antes mesmo do início do lockdown no Distrito Federal, o governador Ibaneis Rocha (MDB) editou um novo decreto neste sábado para flexibilizar as medidas restritivas. No documento, Ibaneis incluiu como exceção a atividade de hotéis, cartórios, papelarias e escritórios de áreas como advocacia, arquitetura e contabilidade.

Pelo texto, fica estipulado que o decreto terá duração de 15 dias, com possibilidade de ser prorrogado. Na versão anterior, a lista incluía menos serviços aptos a funcionar e não havia uma data para o fim da restrição.

Apesar das alterações, ficou mantida a permissão para a continuidade de missas e cultos. Sobre isso, o governador do DF justificou, em suas redes sociais, que igrejas e templos só continuam abertos devido a uma lei aprovada na Câmara Legislativa no ano passado.

“Muitos me perguntam pq cultos e missas são permitidos. É que aqui no DF foi aprovada uma Lei, que está sendo questionada no TJDFT, que define Igrejas como serviços essenciais e sou obrigado a cumprir. Mas sei que eles têm seguido as normas de segurança, isso me tranquiliza”, escreveu no Twitter.

Segundo o novo decreto, continua proibida a realização eventos, de qualquer natureza, que exijam licença do Poder Público; atividades coletivas de cinema, teatro e museus; atividades educacionais presenciais em todas as creches, escolas, universidades e faculdades, das redes de ensino pública e privada; e academias de esporte de todas as modalidades.

Além disso, também devem ficar fechados salões de beleza e barbearia; shoppings; clubes recreativos, inclusive a área de marinas; utilização de áreas comuns de condomínios residenciais; boates e casas noturnas.