Anthony Hopkins estava dormindo em sua cama quando ganhou o Oscar de melhor ator, diz agente

O Globo
·2 minuto de leitura

Anthony Hopkins, de 83 anos, definitivamente não esperava que fosse ganhar o Oscar de melhor ator. Na hora do anúncio feito por Joaquin Phoenix, o astro estava dormindo em sua cama e não fazia ideia de que havia se tornado recordista ao ser a estrela mais velha a conquistar o prêmio na categoria.

"Tony estava no País de Gales, onde cresceu, e estava dormindo às 4 da manhã quando eu o acordei para lhe contar a notícia", disse o agente de longa data de Hopkins, Jeremy Barber, à People. "Ele está muito feliz e grato".

Esta foi a sexta indicação de Hopkins ao Oscar. O ator galês conquistou seu primeiro prêmio como melhor ator em 1992, por sua atuação como o psiquiatra e assassino em série canibal Dr. Hannibal Lecter, no thriller psicológico O Silêncio dos Inocentes.

Em Meu Pai, Hopkins interpreta Anthony, um homem de 80 anos com demência que rejeita desafiadoramente os cuidadores que sua filha Anne (Olivia Colman) lhe apresenta. À medida que sua condição piora, a confusão de Anthony em torno de suas memórias afeta sua identidade e os relacionamentos ao seu redor.

"Depois de um ano em quarentena e vacinado, ele finalmente conseguiu retornar ao País de Gales e, aos 83 anos, foi um grande alívio após um ano tão difícil”, disse Barber. "Mas ele amou o papel em O Pai - é sua atuação de maior orgulho - e ser o ator vivo mais velho a vencer na categoria significa muito para ele."

Anthony Hopkins publicou um vídeo na manhã desta segunda-feira para agradecer pelo prêmio. "Obrigado à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, Sony Pictures Classics, Florian Zeller, UTA, Jeremy Barber, Christine Crais, Mitch Smelkinson, Juan Miguel Arias, minha esposa Stella e família", escreveu ele na legenda.

No vídeo, onde aparece num espaço rural, Anthony diz: "Bom dia, aqui estou eu na minha terra natal, País de Gales, e aos 83 anos de idade não esperava receber este prêmio. Eu realmente não queria. Eu sou grato à Academia e obrigado. Quero prestar homenagem a Chadwick Boseman, que nos foi tirado muito cedo, e mais uma vez, muito obrigado a todos. Eu realmente não esperava por isso, então me sinto muito privilegiado e honrado. Obrigado".