Anticoncepcional masculino: cientistas testam implante de gel bloqueador de esperma que funciona como uma vasectomia

A Austrália está testando uma alternativa temporária às vasectomias envolvendo um hidrogel não hormonal, implantado nos ductos espermáticos, que bloqueia os espermas e dissolve-se naturalmente após dois anos.

Chamado de ADAM, o modelo, segundo o site da empresa que o idealizou, Contraline, foi projetado “para impedir que o esperma viaje pelos vasos deferentes sem afetar a sensação ou a ejaculação. Os espermatozóides bloqueados naturalmente se degradam e são absorvidos. No final de sua vida útil, o hidrogel se liquefaz, removendo a barreira ao fluxo de esperma”.

O teste está sendo feito em Melbourne, na Austrália, onde quatro dos 25 participantes do estudo já tiveram o gel injetados em seu corpo. Ele é implantado por meio de uma injeção rápida minimamente invasiva juntamente com anestesia local, com o procedimento levando menos de 30 minutos.

“Se for bem-sucedido, pode ser um divisor de águas, garantindo que a contracepção seja uma responsabilidade compartilhada entre os casais. Até o momento, os procedimentos de implantação foram extremamente bem e os pacientes receberam alta rapidamente após as cirurgias”, disse o urologista Nathan Lawrentschuk, principal autor do estudo.

A data estimada para o fim da pesquisa é 30 de junho de 2025. Os participantes fornecerão amostras de sêmen por 3 anos, com o estudo examinando a porcentagem de indivíduos que atingem azoospermia absoluta, ou seja, a ausência de espermatozoides no sêmen, e porcentagem de indivíduos que atingem azoospermia virtual, definida como uma contagem de espermatozoides maior ou igual a 100.000 por mililitro e 0 por cento de motilidade.

Dada a relativa falta de opção de contracepção masculina, o estudo foi muito bem recebido pela comunidade. A demanda de pacientes pelo estudo superou as expectativas dos pesquisadores que superou as inscrições em três semanas após a abertura das inscrições.