Antonia Fontenelle critica posicionamento de Anitta e famosas em corrente contra Bolsonaro

1 / 1
Antonia Fontenelle critica posicionamento de Anitta e famosas em corrente contra Bolsonaro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Antonia Fontenelle usou suas redes sociais neste domingo (23) para criticar a campanha #EleNão, contra o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL). A socialite republicou o vídeo em que Anitta diz que jamais votaria em um candidato homofóbico, após ser pressionada por seus fãs e desafiada por Daniela Mercury.

"[Estou] com a pipoca em mãos para assistir ao resultado desses desafios. Lembrando sempre: a merda que o nosso país se encontra vai além de desafios bobos", escreveu ela na legenda. "Ainda bem que famosos não decidem eleição", completou.

O desafio a que se refere foi lançado nas redes sociais pela cantora Daniela Mercury, que publicou um vídeo convidando outras mulheres famosas a se posicionarem contra Bolsonaro, convidando-as para  participar das manifestações do movimento #EleNão, no dia 29 de setembro.

Além de Anitta, celebridades como Bruna Marquezine, Pabllo Vittar, Cleo Pires, Iza, Caetano Veloso e Claudia Raia replicaram a hashtag em suas páginas. 

Em sua publicação, Fontenelle diz que está lendo a biografia não autorizada de Anitta e a aconselha a não ceder às pressões populares. "Tô lendo seu livro bem antes de você , tô chocada. Mas eu te entendo você só tem 25 anos, portanto um conselho de uma mulher de 44, jamais ceda às pressões.(sic)"

A socialite critica também a postura de outras celebridades que aderiram a campanha. Em letras garrafais, ela pede que declarem seus votos. "Queridas famosas 'formadoras' de opinião, que tal dizer em quem votar e porquê?"

Em um vídeo de seu canal no YouTube na última segunda (17), Fontenelle entrevista o pastor Silas Malafaia, com quem em certo momento debate sobre política. "Não venham aqui me dizer que estou fazendo campanha para o Bolsonaro, mas eu já disse e repito: estou torcendo, sim, para que o Bolsonaro seja presidente desse País. Sou mulher, sustento os meus filhos, ajudo na criação da minha neta, não gosto de vitimismo", disse.