Negros são oito de cada 10 mortos pela polícia no Brasil, aponta levantamento

·2 minuto de leitura
Foto: AP Photo/Silvia Izquierdo
Foto: AP Photo/Silvia Izquierdo

Oito a cada dez pessoas mortas pela polícia em 2019 eram negras. A estatística chocante foi revelada pelo Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado neste domingo (18).

Entre as 6.357 vítimas de violência policial no ano passado, 99% era formada por homens. O levantamento é elaborado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). O estudo se baseia em boletins de ocorrência fornecidos por 23 estados. Acre, Amapá, Amazonas e Rio Grande do Norte não revelaram os dados.

Leia também

Outra taxa que chama a atenção no levantamento é o aumento da violência policial em relação ao ano anterior, que registrou 6.175 vítimas. Houve, portanto, um crescimento de 2,9% na quantidade de mortos por agentes do estado.

Para Renato Sergio de Lima, presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o país ignora uma questão racial que é evidente.

"A gente está olhando para os números e percebendo que, enquanto o Brasil faz de conta que não tem problemas raciais, um racismo estrutural que organiza as relações sociais do país, quem morre e quem mata são exatamente proporcionalmente muito mais negros do que brancos", avalia Lima ao UOL.

Além do aspecto racial, chama a atenção no levantamento o recorte por faixa etária, que expõe que os mais atingidos pela violência policial são os jovens: 23,5% (15 a 19 anos), 31,2% (20 a 24 anos) e 19,1% (25 a 29 anos)

Também do lado dos agentes do Estado a situação é dramática. De acordo com o Anuário, 65% dos policiais assinados eram pretos ou pardos. Foram 172 óbitos entre policiais civi e militares (62 durante o expediente).

Para cada policial assassinado no Brasil em 2019, 37 pessoas foram mortas por policiais, segundo o levantamento.

Outro recorte que chama a atenção diz respeito à população carcerária do país. De acordo com o Anuário, 755.274 pessoas estavam presas no ano passado. Desse montante, 66,7% eram negras e 32,3% eram brancas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos