Anunciantes criticam Elon Musk por Twitter 'livre para todos'

Anunciantes criticam Elon Musk por Twitter 'livre para todos'

(Reedita texto para incluir palavra "não" no 6º parágrafo)

Por Sheila Dang

DALLAS (Reuters) - Elon Musk prometeu aos anunciantes que impedirá que o Twitter se transforme em uma "paisagem infernal livre para todos". Nesta semana, os anunciantes estão começando a exigir detalhes sobre como ele planeja manter esse compromisso.

Um comprador de mídia de uma grande agência de publicidade, que se recusou a ser identificado, disse que a agência se reunirá com Musk esta semana para perguntar como ele planeja reprimir a desinformação na plataforma de mídia social.

O comprador também quer saber como a promessa de Musk se encaixa em suas próprias ações, incluindo um tuíte no fim de semana que espalhou uma teoria da conspiração sobre o ataque contra o marido da presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, Paul.

Outros tópicos incluem o plano de Musk de aumentar o custo do serviço de assinatura do Twitter e veicular e quem servirá como ponto de contato dos anunciantes depois da demissão em massa de executivos seniores, incluindo o chefe de publicidade do Twitter, desde que Musk assumiu o cargo.

Espera-se que os principais clientes da agência participem da reunião, disse a fonte.

Twitter e Musk não responderam imediatamente a pedido de comentário.

Depois de tuítar em 2019 sobre sua aversão à publicidade, Musk agora está sob pressão para evitar alienar os anunciantes que contribuem com mais de 90% de sua receita. Ele está passando sua primeira semana como presidente-executivo com investidores em reuniões para tranquilizar as empresas que contribuem com mais de 5 bilhões de dólares anualmente para o Twitter.

Outro comprador de mídia que conversou com a Reuters disse que sua agência não se reunirá com Musk até que ele articule uma direção para a rede social ou forneça uma atualização substantiva sobre como a plataforma atenderá aos anunciantes.

Alguns clientes começaram a pausar os gastos com anúncios no Twitter nesta semana, disse um anunciante, que se recusou a nomear os clientes porque a fonte não estava autorizada.

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS BC AAP