Anvisa autoriza testes para aplicação da 3ª dose da vacina AstraZeneca contra a covid-19

·1 minuto de leitura
RIO DE JANEIRO, BRAZIL - MAY 24: A public health worker displays a vial of the AstraZeneca vaccine at a COVID-19 vaccination clinic at Museu da Republica (Museum of the Republic) on May 24, 2021 in Rio de Janeiro, Brazil. COVID-19 has claimed more than 1 million lives in Latin America and the Caribbean, with nearly half of those deaths in Brazil. Only three percent of the population of Latin America has been fully vaccinated against COVID-19. Health experts are warning that Brazil should brace for a new surge of COVID-19 amid a slow vaccine rollout and relaxed restrictions. The state of Sao Paulo has registered more than 3 million cases of COVID-19 and more than 100,000 deaths. Nearly 450,000 people have died in Brazil by COVID-19, second only to the U.S. (Photo by Mario Tama/Getty Images)
Estudo para a terceira dose da AstraZeneca não inclui gestantes ou pessoas com comorbidades (Foto: Mario Tama/Getty Images)
  • Anvisa autorizou estudo clínico para avaliar a aplicação de uma terceira dose da AstraZeneca

  • Pesquisa no Brasil terá 10 mil voluntários e todos têm de ter recebido as duas doses da vacina

  • Poderão participar do estudo pessoas de 18 a 55 anos com alta exposição ao vírus

Nesta segunda-feira (19), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou um estudo clínico para avaliar a possibilidade da aplicação de uma terceira dose da vacina AstraZeneca contra a covid-19. No teste serão avaliadas a segurança, a eficácia e a imunogenicidade da dose extra do imunizante.

O estudo será feito em pessoas de 18 a 55 anos, todas que estejam altamente expostas ao coronavírus, como profissionais de saúde. Gestantes e pessoas com comorbidades não estão incluídas na pesquisa.

Leia também:

Os voluntários já têm de ter recebido as duas primeiras doses da vacina. Segundo a Anvisa, a terceira dose será aplicada entre 11 e 13 meses após a segunda dose. 

No total, serão 10 mil participantes do estudo nos seguintes estados:

  • São Paulo (2.500 voluntários)

  • Rio Grande do Sul (3.000 voluntários)

  • Bahia (1.500 voluntários)

  • Rio de Janeiro (1.500 voluntários)

  • Rio Grande do Norte (1.500 voluntários)

Os voluntários serão divididos em dois grupos, os que tomarão a vacina e os que receberão placebo. Depois do fim do estudo, todos poderão receber a terceira fosse da vacina.

Na quarta-feira (14), a Anvisa havia autorizado um estudo clínico para a produção de uma nova versão da AstraZeneca, modificada para ser efetiva contra a variante beta, identificada primeiro na África do Sul. No entanto, na nova pesquisa será usada a primeira versão da vacina, que já é utilizada no Brasil.

No dia 10 de julho a Anvisa autorizou a Pfizer a fazer um estudo clínico para a aplicação de uma terceira dose da vacina.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos