Anvisa libera teste de terapia celular para pacientes internados com Covid-19

O Globo
·2 minuto de leitura
UCSF/NCATS
UCSF/NCATS

SÃO PAULO - A Anvisa aprovou na última quarta-feira (4) o início de testes clínicos para um tipo de terapia celular em pacientes internados com Covid-19.

O método em questão usa células-tronco mesenquimais (células similares a células de embriões, capazes de se transformar e compor diversos órgãos) para tentar acalmar processos inflamatórios que o organismo cria para combater o vírus. A ideia é que a terapia também consiga restaurar tecido pulmonar danificado pelo coronavírus.

O trabalho, patrocinado pela empresa brasileira Cellavita, testará a terapia em 45 pacientes que serão comparados a um grupo de tamanho igual recebendo placebo. O grupo foi liberado para conduzir os trabalhos de fase 1 e 2, que avaliarão segurança e indícios preliminares de eficácia.

Pacientes serão recrutados por médicos do Instituto do Coração (USP), Unifesp, Hospital de Barueri (SP) e Hospital Vera Cruz, de Campinas (SP).

As células-tronco mesenquimais são obtidas tipicamente de amostras de cordão umbilical ou placenta e têm propriedades similares às de tecidos embrionários, que têm células "genéricas" que são capazes de se transformar em diversos tipos de tecido. Daí saiu a ideia para tentar usá-las na tentativa de restaurar lesão pulmonar causada pela Covid-19.

No caso específico da Cellavita, serão usadas células tronco extraídas da polpa de dente humano. Um outro teste em andamento no Brasil, de um grupo da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e do Instituto Carlos Chagas da Fiocruz, aplica técnica similar usando células de cordão umbilical.

Vários países possuem terapias de células-tronco mesenquimais em teste agora, indício de que é uma aposta em alta na comunidade médica.

Um levantamento publicado em agosto pelo Instituto Indiano de Ciência, Tecnologia e Engenharia identificou 90 ensaios clínicos de células MSC contra a Covid-19 em bases de registro dos EUA e da China, que agregam iniciativas de todo o mundo.