Anvisa manda empresa recolher próteses 'reprocessadas'

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) mandou recolher mais de 2 mil unidades de próteses e parafusos da empresa Víncula. De acordo com a Anvisa, os produtos estavam sendo reprocessados, ou seja, aqueles que estava com data de validade vencida eram re-esterilizados e recebiam nova data de validade. O reprocessamento de implantes é proibido pela Anvisa.

"Considerando o risco associado à utilização de produtos reprocessados, em desacordo com a legislação vigente, a Anvisa determinou o recolhimento de todos os implantes reprocessados pela empresa. Foram identificadas mais de 2000 unidades de produtos implantáveis reprocessados, dentre eles, próteses, parafusos e endopróteses", afirmou a Anvisa.

O reprocessamento é permitido para alguns produtos, mas não para próteses. Em nota, a Anvisa explicou que " o reprocessamento de produtos implantáveis de qualquer natureza, como: cardíaca, digestiva, neurológica, odontológica, oftalmológica, ortopédica, otorrinolaringológica, pulmonar, urológica e vascular, é proibido."

A lista de produtos que devem ser recolhidos e seus lotes foi publicada pela Anvisa nesta sexta-feira no Diário Oficial da União. De acordo com a agência, os pacientes que utilizaram os implantes devem ser monitorados para verificar a ocorrência de algum sinal de infecção. A agência pede ainda que os estabelecimentos de saúde notifiquem casos de infecção ou outros problemas decorrentes do uso das próteses.

O GLOBO entrou em contato com a empresa, mas ainda não obteve retorno.