Anvisa proíbe venda e uso de pomada modeladora que causou até cegueira temporária

Após mais de 200 pessoas relatarem queimaduras e até cegueira temporária, a Anvisa proibiu o uso e comercialização de produtos da empresa Microfarma Indústria e Comércio, especialmente a pomada modeladora Cassu Braids, usada para penteados como tranças e baby hair. O Instituto municipal de Vigilância Sanitária do Rio (Ivisa-Rio) já havia feito a mesma proibição na quinta-feira.

A Anvisa justificou a decisão alegando que a empresa não estava devidamente regularizada para a fabricação desse tipo de produto. Também pesaram os relatos de efeitos adversos relacionados ao uso da pomada modeladora e que foram encaminhados pela vigilância sanitária do Rio.

A agência ressaltou que os casos seguem em investigação, mas que os relatos dos consumidores que usaram o produto indicavam irritação ocular, pálpebras inchadas e dor nos olhos, além de dificuldade de enxergar, o que ocorreu ao lavarem o cabelo.

“É importante ressaltar que consta no rótulo do produto a orientação de evitar contato com os olhos e mucosas, bem como a orientação de retirar a pomada do cabelo antes de ir a lugares como piscinas, praias e cachoeiras, para que o produto não escorra sobre os olhos. Entretanto, a empresa fabricante está com CNPJ inapto junto à Receita Federal e com a licença sanitária cancelada desde 2018”, diz a nota da Anvisa.

A recomendação do órgão é para que as pessoas que compraram a pomada não usem o produto e entrem em contato com a empresa para verificar a forma de devolução. A determinação é de que sejam recolhidos todos os produtos no mercado. Estabelecimentos comerciais que tenham o produto para uso de seus clientes também devem suspender a utilização.