Anvisa recebe pedido de uso emergencial de remédios contra a Covid-19

RAQUEL LOPES
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recebeu pedido de uso emergencial de um medicamento para pacientes com Covid-19 desenvolvido pela empresa Produtos Roche Químicos e Farmacêuticas. O tratamento é uma combinação dos medicamentos biológicos casirivimabe e imdevimabe. A agência reguladora avaliará a solicitação da autorização para o uso emergencial e temporário de medicamento no prazo de até 30 dias. As primeiras 72 horas serão utilizadas para fazer uma triagem do processo e verificar se os documentos necessários estão disponíveis. Para fazer a avaliação, a Anvisa utilizará o relatório técnico emitido pela FDA (agência que regula medicamentos nos Estados Unidos) e os dados apresentados pelo laboratório em reunião de pré-submissão. Foram entregues 3.626 páginas de dados sobre o medicamento objeto da solicitação nesta quinta-feira (1). A FDA já concedeu autorização de uso de emergência para esses medicamentos a serem administrados juntos para o tratamento de Covid-19 em pacientes com sintomas leves e moderados. Segundo a agência americana, a terapia com anticorpos monoclonais pode ajudar os pacientes ambulatoriais a evitar a hospitalização e aliviar a carga no sistema de saúde. Esses medicamentos mostraram redução na hospitalização pela Covid-19. Os anticorpos monoclonais são proteínas feitas em laboratório que imitam a capacidade do sistema imunológico de combater o vírus. A Anvisa já aprovou o uso emergencial de um medicamento para ser usado em pacientes de Covid-19, o remdesivir. O remédio é indicado para pessoas hospitalizadas com quadro de pneumonia e que precisam de suporte de oxigênio, desde que não estejam em ventilação mecânica. O medicamento apresentou em estudos benefícios na redução da mortalidade e diminuição da necessidade de ventilação mecânica, além de redução do tempo de internação.