Anvisa se reúne com representantes da União Química para discutir registro da Sputnik

Manoel Ventura
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) fez uma nova reunião com representantes da União Química, nesta sexta-feira, para discutir o registro da vacina russa vacina Sputnik V no Brasil.

A reunião ocorre em meio à polêmica da aprovação de uma medida provisória (MP), que fixa prazo de cinco dias para que a Anvisa aprove vacinas que já tenham obtido aval de agências no exterior. Essa regra, se sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, deve facilitar o registro da vacina russa no Brasil.

“Durante o encontro os representantes da União Química indicaram que vão avaliar qual será a estratégia para trazer a vacina para o Brasil, considerando a atualização recente do Guia de Uso Emergencial que permitiu o pedido com estudos de fase 3 de fora do Brasil”, informou a Anvisa, em nota.

A agência reguladora disse que esse tipo de encontro faz parte da estratégia que tem adotado com todas as empresas que pretendem ter vacinas autorizadas no Brasil.

Nesta sexta, o Ministério da Saúde anunciou a intenção de comprar 10 milhões de doses da vacina Sputnik V importadas da Rússia. A compra, no entanto, só será concretizada se a Anvisa liberar o uso emergencial da vacina e se o governo considerar o preço "competitivo".