Anvisa suspende e manda investigar importação e uso no Brasil da proxalutamida, dizem fontes

·1 minuto de leitura
Sede da Anvisa, em Brasília

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu suspender a importação e o uso da substância proxalutamida no Brasil, em uma decisão unânime da diretoria tomada nesta quinta-feira, de acordo com duas fontes ouvidas pela Reuters.

A proxalutamida é uma droga que bloqueia a ação de hormônios masculinos, desenvolvida na China, e que está sendo testada no tratamento de tumores na próstata.

Depois da cloroquina e ivermectina, a proxalutamida passou a ser defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, seus filhos e apoiadores como mais um medicamento "milagroso" contra a Covid-19. Por ser uma droga ainda em estudos e não acessível em farmácias, no entanto, o alcance dessa propaganda foi mais limitado que a cloroquina e a ivermectina.

A decisão da Anvisa suspende a importação e qualquer tipo de uso no Brasil, até decisão em contrário da agência, que decidiu abrir uma investigação sobre os documentos apresentados pelos importadores para que a Anvisa autorizasse a importação. Há indícios de que os documentos possam ter dados fraudulentos.

A proibição da importação da substância abrange inclusive as importadas para pesquisa, o que pode paralisar estudos no país.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos