Anvisa termina inspeção em fábricas da CoronaVac na China e promete resultado até a primeira semana de janeiro

Anita Efraim
·1 minuto de leitura
The governor of the state of São Paulo, João Doria holds a press conference on the beginning of tests with volunteers and health professionals with the Chinese vaccine CORONAVAC in the fight against the new coronavirus (Covid-19), at Hospital das Clínicas this Tuesday, on July 21, 2020 in Sao Paulo, Brazil. This morning, the CORONAVAC vaccine was applied to a Doctor at the HC and the forecast is that the 9,000 volunteers will be vaccinated by September 2020. The Government has announced that the forecast to make the vaccine available to the population should occur in early 2021.. In the photo Governor João Doria presents the new Chinese vaccine CORONAVAC. (Photo: Antonio Molina/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)
CoronaVac, vacina contra coronavírus desenvolvida em parceria pela SinoVac e Instituto Butantan, está sendo produzida em São Paulo (Foto: Antonio Molina/Fotoarena/Sipa USA via AP Images)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária anunciou nesta sexta-feira, 4, que encerrou o processo de inspeção presencial nas fábricas que farão a CoronaVac, na China. O objetivo da visita era certificar que as fábricas da SinoVac seguiam as Boas Práticas de Fabricação.

O processo começou em 30 de novembro e terminou por volta das 7h desta sexta-feira, 4. Segundo a Anvisa, a conclusão do processo se dará com a emissão de um Relatório de Inspeção. Para isso, o Instituto Butantan tem de enviar informações adicionais.

A previsão é de que decisão final de se a SinoVac terá o Certificado à Boas Práticas de Fabricação seja feita entre a última semana de dezembro e a primeira semana de janeiro.

Leia também

Entre os dias 7 e 12 de dezembro, inspetores da Anvisa farão o mesmo procedimento na Wuxi Biologics Co., fábrica que produz os insumos usados pela Fiocruz Bio-Manguinhos, responsável pela vacina da AstraZeneca no Brasil.