Ao abrir crise com PSL, Bolsonaro perde apoio da maioria dos deputados do partido

Debora Álvares
Jair Bolsonaro e o presidente do PSL, Luciano Bivar; outrora aliados, agora adversários.

Ao orientar um apoiador a “esquecer o PSL”, que o partido “já era” e ainda se referir ao presidente da sigla, Luciano Bivar, como “queimado pra caramba”, o presidente Jair Bolsonaro abriu uma frente de batalha que pode ter um custo político altíssimo. Se até o momento encontrava alguma dificuldade em consolidar uma base de apoio no Congresso, agora seus problemas aumentaram. Não tem ao seu lado nem metade dos pesselistas. Além disso, há em outras legendas receio em recebê-lo, pelas mudanças internas — na direção, em comandos e até de regras — que o mandatário promoveria ao chegar. Bolsonaro conta ainda com dificuldades na criação de novas siglas, para poder considerar essa opção.

A declaração de Bolsonaro, que na verdade resolveu vocalizar uma insatisfação antiga com o PSL veio à tona com a irritação ante as denúncias envolvendo o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. No domingo (6), a Folha de S.Paulo noticiou que um depoimento à Polícia Federal e uma planilha sugerem que dinheiro do suposto esquema de laranjas do partido em Minas foi desviado para as campanhas de Álvaro Antônio — que concorreu a deputado federal (e venceu) — e do próprio presidente. 

Desde que as denúncias contra Álvaro Antônio surgiram, Bolsonaro tem dito que é preciso haver provas contra seu ministro. Semana passada, o Ministério Público de MG o denunciou, acusado no esquema de candidaturas femininas de fachada, conhecido como laranjal do PSL. Interlocutores afirmam que a principal preocupação do presidente gira em torno de sustentar o discurso para seu eleitorado: como permanecer no mesmo partido de alguém que cometeu corrupção, se o combate à prática é um de seus princípios?

A maioria dos parlamentares não digeriu esse ataque desnecessário. O Bivar é uma mãe no PSL. Deu tudo ao Bolsonaro durante a campanha. É muita ingrantidão da parte dele.deputado Delegado Waldir

Porém, com essa postura, o presidente se...

Continue a ler no HuffPost