Ao criticar 'visões extremas' de Bolsonaro, Economist volta a chamar candidato de ameaça

 (AP Photo/Leo Correa)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em artigo publicado nesta quinta-feira (11), a revista The Economist afirmou que Jair Bolsonaro representa uma ameaça para o Brasil e para América Latina.

"Em vez de um flashback para 1964 [ano em que os militares tomaram o poder no poder], Bolsonaro representa uma ameaça mais insidiosa ['traiçoeira']. Ele expressa visões extremas. Ele disse que a ditadura errou em 'torturar em vez de matar'. Ele quer que a polícia mate mais 'criminosos', e quer liberar a posse de armas", diz trecho do texto.

Há poucas semana, a publicação classificou o candidato do PSL como "a mais recente ameaça da América Latina". No editorial que repetia a manchete, a publicação afirmou que "ele seria um presidente desastroso".