Ao cumprir 'missão' com Fluminense, Nenê revive faceta de encerrar secas e classificar equipes à Libertadores

Marcello Neves
·2 minuto de leitura

A vaga garantida para o Fluminense na próxima edição da Copa Libertadores (ao menos na fase pré) tem a luxuosa colaboração de Nenê. Artilheiro tricolor na temporada aos 39 anos, ele mesmo admite que obter a classificação era o seu principal objetivo e, ao ter sucesso, revive uma faceta que tem se tornado comum desde o retorno ao Brasil: conseguir encerrar secas e levar as equipes que defendeu de volta à competição internacional em um curto espaço de tempo.

A segunda melhor temporada da carreira de Nenê reserva 50 jogos disputados e 20 gols marcados. No Campeonato Brasileiro foram oito tentos, tornado-o um dos principais responsáveis para hoje estar na quinta colocação com 60 pontos. A vaga na Libertadores acontece pela primeira vez em oito anos, sendo esta a primeira sem o aporte financeiro da Unimed, patrocinadora que deixou o clube em 2014.

— É algo que me deixa muito feliz. Meu objetivo é sempre contribuir da melhor forma possível com a minha equipe. Me dedico muito ao meu trabalho e isso é um dos melhores prêmios que eu poderia recebe. Foi um ano complicado mas conseguimos superar os desafios e alcançamos a vaga para a Libertadores que era um grande objetivo da temporada — conta o camisa 77, que seguirá sendo referência do clube na próxima temporada.

Os 100% de aproveitamento no quesito de levar ex-equipes à Libertadores começou em 2015, quando escolheu o Vasco para retornar ao Brasil. Além de trazer o cruz-maltino de volta à elite do futebol brasileiro (estava na Série B em 2016), conseguiu classificar à Libertadores em 2018, competição que o clube não disputava havia seis anos. Naquele Brasileiro, Nenê marcou 11 gols em 49 partidas.

Ao se transferir para o São Paulo, meses depois, o meia repetiu marcou 12 gols em 55 jogos e levou o clube paulista à Libertadores de 2019. Os dois anos de seca do Tricolor paulista podem parecer pouco, mas eram motivo de crise no Morumbi e responsáveis por fazer a diretoria investir em medalhões como Nenê — o experiente Diego Souza também seria contratado por este objetivo. Pouco depois, desembarcaria no Rio para acertar com o Fluminense.

Planejamento para 2021

A permanência de Nenê para a próxima temporada é garantida no Fluminense. Tanto que, ainda em setembro de 2020, o Tricolor já havia renovado o contrato do meia até o fim de 2021. O vínculo anterior era válido até dezembro de 2020 e foi estendido por mais uma temporada. Ele é peça fundamental do planejamento da diretoria para disputa da Libertadores.

Com a contratação de Roger Machado encaminhada para ser o novo treinador, Nenê terá papel de misturar a liderança que tem no elenco, a boa relação com os mais jovens a experiência necessária para disputar uma competição deste porte. Se houve críticas por parte dos torcedores ao longo da temporada, hoje o clima é amistoso. Ou seja, o camisa 77 terá uma nova missão em 2021: após a vaga, conquistar o título.