Ao menos 12 pessoas morrem em ataque a revista em Paris

 

Pelo menos 12 pessoas morreram e 10 ficaram feridas em um ataque no escritório da revista de humor "Charlie Hebdo", em Paris, na França, que já havia sido alvo de atentado após publicar charges com líderes muçulmanos, informou a polícia.

Segundo a polícia, cinco feridos estão em estado grave. O presidente francês, François Hollande, disse  que "40 pessoas foram salvas" e classificou o caso como um "ataque terrorista". Hollande afirmou ainda que a França está em estado de choque. Uma reunião emergencial do gabinete foi convocada para as 14h, horário local (11h de Brasília). Atiradores teriam fugido em dois veículos após o atentado.

Publicação de 2012 com caricaturas de Maomé diz o essencial é não deixar viver em paz.


Testemunhas disseram ao canal de notícias francês iTELE terem visto o incidente a partir de um prédio próximo da capital francesa.

 

"Cerca de meia hora atrás dois homens com capuz preto entraram no prédio com (fuzis) Kalashnikovs", disse Benoit Bringer à emissora. "Poucos minutos depois, nós ouvimos vários tiros", disse, acrescentando que os homens depois foram vistos fugindo do prédio.

A sede da "Charlie Hebdo" foi alvo de ataque com uma bomba incendiária em novembro de 2011 após o jornal ter publicado uma imagem do profeta Maomé em sua capa.








A revista já havia sido ameaçada após publicar caricaturas do profeta Maomé

 

Nosso objetivo é criar um local seguro e atraente para os usuários se conectarem a interesses e paixões. Para melhorar a experiência de nossa comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários dos artigos.